Outro ponto de vista: saiba como ajudar uma criança canhota no dia a dia

Pequenos contratempos podem ocorrer, mas sem neura! Algumas dicas podem fazer toda a diferença

Uma criança já pode dar os primeiros sinais quanto ao seu lado de dominância desde o ventre da mãe. De forma visual, eles começam a partir dos três meses: geralmente o dedo da mão que vai ser levado à boca quando o bebê começa com a coceira nas gengivas é o da mão que será a dominante.

Confira algumas dicas para ajudar seu filho canhoto na rotina (Foto: iStock)

Como o ambiente e contexto em que estão inseridos exerce também grande influência, até por volta de 6 anos de idade ainda pode haver alguma mudança. Que tal prestar atenção em alguns detalhes e tomar atitudes que podem ajudar seu filho a seguir sua vida usando a mão esquerda de forma natural, caso seja a dominante? Duas situações comuns que podem ser muito frustrantes para crianças canhotas são:

  • 1. Brinquedos de dar corda: quando não conseguir, ou conseguir com dificuldade acertar o sentido em que deve girar para dar corda. Isso porque o natural para o canhoto é rodar sempre no sentido anti-horário. Se isso ocorre com seu filho, demonstre como usar o brinquedo sem colocar o foco no que ele faz quando se dá corda. Ofereça também outros brinquedos que tenham desempenho semelhante sem depender do mecanismo de corda.
  • 2. Hora de abotoar a blusa, fechar o zíper e amarrar o sapato: essas situações podem causar baixa autoestima ou uma simples irritação pela pressão e comparação de tempo e habilidade com outros amigos ou irmãos fazendo a mesma atividade.

Para ajudar, os pais podem:

  • Usar todas as oportunidades sozinhos com a criança para ensiná-la a superar esses obstáculos. Evitar roupas com botão ou zíper não vai ajudar seu filho. Ele precisa de prática para que essas atividades sejam naturais. Mas precisa também ter consciência que faz diferente, mas que isso não é desvantagem. Por isso, ajudá-lo a fechar o casaco e mostrar que você faz isso com pequena diferença, mas que o resultado é o mesmo, é um bom caminho.
  • Quanto ao calçado, é sempre útil ter um par de tênis com velcro ao invés de cadarço, para que ele use quando for dormir na casa do primo ou amigo. Isso vai evitar que ele tenha simultaneamente os dois tipos de pressão: o tempo e a comparação quando todos tirarem o calçado para brincar e depois tiverem que calçar para ir embora. Lembre-se, porém, de que esse é um plano B – deve ser provisório em termos de tempo e evitado nas situações do dia a dia, para que ele possa o mais cedo possível dominar a arte sem traumas ou medo.
  • A melhor maneira de ensinar uma criança canhota a se vestir e calçar é ficar de frente com ela. O efeito espelho ajuda na interpretação dos movimentos.

Superar os desafios de se adaptar a um mundo preparado para os destros vai se tornar um superpoder na vida do seu filho. Toda a energia e estratégias que ele usar para desenvolver uma nova habilidade que envolve coordenação motora vão se transformar em novas conexões cerebrais que serão utilizadas no aprendizado formal e ao longo da vida pessoal. Nada de sentir pena ou tentar fazer pelo seu filho. Só não precisa economizar na dose de orgulho por cada nova tentativa e pelos obstáculos vencidos!