Mãe guerreira afrobrasileira

O Império Mama, meus filhos, meus amores. A criação de dois projetos e a realização familiar

**Texto por Damianna Alves de Souza (Mama), criadora do Mamasoul, música autoral e releituras, Black, soul e R&B, e Mamaecos Ecobiojoias, trabalho ecológico feito de plástico que seria descartado na natureza, com sementes e pedras naturais, mãe de Pedro Cecilio, Luiz Victor, Maria Luiza e Maria Helena

Uma história de uma mãe empreendedora (Foto: Shutterstock)

Uma vida de música, artesanato, amor e filhos. Esta é a base da minha vida. Nasci num berço de “bamba” com meus pais liderando grupos de Samba e já nasci sambando e nos palcos. Quando menininha, eu e meus dois irmãos, Saymon e Digão, tínhamos um grupo de pagode de criança chamado “Coisa de muleke”.

Eu já cantava e dançava, uma época mágica, onde aprendi que o palco era minha segunda casa, fizemos muito shows de sucesso, com pessoas e grupos de pagode 90 durante 6 anos. Na minha adolescência, aos 16 anos, fui pro rock in roll, fiquei revoltadinha rs.

Nessa fase, comecei a tocar violão com meu Pai Osvair ( Marimbondo), (in memorian). Comecei a cantar Janis Joplin, e montar umas banda com amigos, Pink Floyd, Led Zeppelin, Iron Maiden e fui para os bares da vida. Conheci o pai dos meus filhos. Casei-me cedo e constituí família.

Em 2.000, nasce o primeiro filho, Pedro Cecilio, lindo e “fortão”. Eu, sempre de violão na mão e a voz pela casa, fui criando meus babys. Bem casada e em casa, no patriarcado do marido, recalcado e ciumento. Logo me achei no artesanato, para ajudar na renda e, por ter aptidão com coisas manuais, me encontrei, que alegria viajar e criar.

Em 2003, grávida do segundo filho, Luiz Victor, “o Príncipe!” comecei com as biojoias, por ter a beleza natural das sementes e cascas, com filhos na barriga fui desenvolvendo técnicas a cada um que nascia. Vendia em feiras e festas. Na terceira filha em 2005, “a maravilhosa”,  já vendia na república e na porta dos eventos de moda em São Paulo. Sempre amei a arte em todos os sentidos.

Eu fazia uma arte africana, com búzios, sementes, cordas, contas e cascas. Uma beleza afrobrasileira, feita por uma Mama Preta, que tinha um sonho de criar um império, para seus filhos
serem felizes, um lugar que fosse sólido e forte para ajudar pessoas, com muita prosperidade.

Passou-se anos e as coisas estavam bem, mas deu uma boa caída, com a venda de produtos plastificados e sintéticos. Em 2013 nasce “a linda”, da quarta filha Maria Helena, já num casamento desfeito, com várias tentativas de volta, ela linda e cheia de luz, trouxe amor e muitas novidades.

Mama volta a cantar, com toda inspiração de Helena. Comecei a compor lindas e doidas músicas, voltando aos bares lentamente, mas voltando. Criei a Mamasoul, um banda de mulheres que tocam e cantam Black Music. Em 2015, me divorciei e a separação foi total, ou seja, eu cuidando de quatro
lindo e amorosos filhos, todas dificuldades vieram.

Quando um dia atribulada com dívidas, educação de criança, e tals, acordei numa madrugada e fui a cozinha, tive um insight aquelas horas, e comecei a cortar uma garrafa pet em vários pares e formatos. Cortei os tecidos de uma saia africana, colei, coloquei pedrinhas e fiz 12 pares de brincos.

Nunca tinha visto nada igual, lindos e coloridos, assim nasceu minha marca Mamaecos. Um novo segmento ecológico de uma fusão de uso de materiais, plástico que seria descartado, sementes, e pedras naturais, que entram no segmento de ecobiojoia, ao qual o nome que eu inventei, uma joia de ancestralidade.

A joia é um sucesso! Muito bem aceita, nas galeras todas, voltei para a Paulista, para mostrar o trabalho, que cresce e aprimoro a cada dia. Em 2017, Mamasoul, depois de tantos eventos, shows no estado de São Paulo, já experiente, ganhou o festival de música de minha cidade Poá, foi incrível.

Em 2018, fomos fazer uma Eurotour, ficamos por 5 meses em Paris, Irlanda e Inglaterra, mostrando o groove preto brasileiro, foi uma alegria e um AXÉ divino. No verão, sempre tínhamos a agenda lotada no litoral, em 2019 foi em Ubatuba, shows lindos à beira mar e bons amigos. E Mamaecos junto sempre, fez muito sucesso em Londres, o império Mama se concretizando.

Hoje, na pandemia, com tantas dificuldades de empregos para adolescentes, viramos uma empresa familiar, eles são prósperos como eu, e começaram a se interessar pelo império, que um dia será de seus filhos e netos, assim seja!!