Colunistas

Mãe cria projeto para acolher mães de crianças com deficiência: “Foi um resgate de autoestima”

Karina Pires Marciano é psicóloga e criou o "Colo para Mães" como uma forma de tornar a caminhada dessas mulheres mais suave

Com o projeto quis proporcionar um espaço de acolhimento e reflexão (Foto: arquivo pessoal)

Trabalhei por mais de dez anos numa instituição voltada para crianças com deficiência física e além dos atendimentos com as crianças, havia também sessões com seus responsáveis, sendo na sua maioria mães.

Eram mães que se dedicavam inteiramente aos filhos, que os levavam até cinco vezes por semana nas terapias e se deslocavam por diversas áreas da cidade, pois as terapias acontecem em diferentes locais, e mais, eram esposas que ainda encontravam tempo e energia para se dedicar ao marido, emprego e casa.

Eram mulheres que mantinham os filhos impecáveis, que nunca se esqueciam das consultas ou de qualquer atividade relacionada a eles, mas que se esqueciam completamente de si. Elas não lembravam a última vez que tinham ido ao médico.

Mães que eu tinha uma admiração incrível, com histórias lindas de amor e superação. No entanto, durante os atendimentos eu percebia que a sua visão totalmente diferente da minha. Encontrava mulheres com baixa autoestima, sentimento de menos valia, com sintomas de depressão. Mulheres que não se olhavam, que não se conheciam, pois estavam ocupadas demais.

Era um ponto de encontro, onde elas pudessem contar suas histórias e se sentirem especiais e únicas (Foto: arquivo pessoal)

Desta vivência veio a vontade de realizar o projeto. Proporcionar um espaço (mesmo que virtual) de acolhimento, reflexão e troca de experiências. Um ponto de encontro, onde elas pudessem contar suas histórias e se sentirem especiais e únicas. Uma das ferramentas que percebi que me ajudaria a atingir estes objetivos é vídeo com depoimentos sobre sua história junto ao filho.

E foi cada relato… Algumas mães chegavam tímidas, acreditando que não conseguiriam encarar a câmera, com medo de chorar ao contar sua caminhada, mas se transformavam em verdadeiras leoas, lembrando todas as lutas enfrentadas. Ao final da gravação estavam felizes, sorridentes, com uma vontade imensa em ajudar outras mães que estivessem passando por uma situação parecida. E eu? Emocionada, feliz e realizada, pois como psicóloga pude favorecer o resgate de sua autoestima, auxiliando na construção de um novo olhar para si e para o mundo.

Foi um resgate de autoestima, auxiliando na construção de um novo olhar para si e para o mundo (Foto: arquivo pessoal)

Meu maior desejo é que ao final desta jornada elas se reconectem, se olhem no espelho e sorriam ao se depararem com sua força e beleza. Se você se interessou e quer conhecer o projeto entre em contato:

Karina Pires Marciano – Psicóloga – CRP 06/70029

www.karinapsicologia.com.br

Youtube: Colo para Mães

Facebook: @karinapsicologia

Instagram: @karina_psicologia

Leia também:

Mãe fala sobre escolher com quem construir uma família: “A minha própria versão de felizes para sempre”

Copa do Mundo de Futebol Feminino: o que o campeonato pode ensinar para o seu filho

Mãe conta a experiência de ter um filho autista: “Meu filho pode ser o que ele quiser”