Como trabalhar a autoconfiança a partir da Astrologia

Da mãe a vida começa e do pai entramos em contato com o exterior, que é o mundo

O Sol, é na Astrologia Sistêmica, a estrela do Mapa, o brilho, a luz, por isso, ele está ligado a nossa capacidade de ter clareza e também a nossa autoconfiança. O signo onde ele estava quando nascemos vai indicar como vamos manifestar nossa força de movimento, de ir em busca do nosso propósito e conquistas.

Buscar a autoconfiança dentro da astrologia é entender seu potencial masculino
Buscar a autoconfiança dentro da astrologia é entender seu potencial masculino (Foto: iStock)

Marte, por outro lado, é o impulso energético que nos sustenta em nossa afirmação, é a capacidade e ação disponível para se realizar a expressão solar e como vamos manifestar a história dos homens no nosso sistema familiar. É a energia do nosso Guerreiro Interior, o instinto de sobrevivência.

Aspectos tensos com esses dois astros e com signos masculinos no nosso mapa natal podem indicar desafios durante a vida para desenvolver autoconfiança. O nosso poder pessoal é a soma da nossa autoestima com a nossa autoconfiança. Autoestima é feminina, tem a ver com amor e autoconfiança, tem a ver com ação. Todos temos ambas as energias dentro de nós.

Como vamos manifestá-las vai estar diretamente ligado às nossas relações primordiais: Mãe e Pai. Da mãe a vida começa e do pai entramos em contato com o exterior, que é o mundo. Por isso, falamos que Mãe vai se relacionar com Autoestima e Pai com Autoconfiança.

Bert Hellinger diz: “Somente na mão do pai a criança ganha um caminho para o mundo”. Você já viu uma pintura do Van Gogh que se chama Passos para o Pai? Ela pode ser muito simbólica. Imagine que somos concebidos por mãe e pai: óvulo + espermatozóide. Somos gerados no útero da nossa mãe, e de repente, depois de 9 meses temos que ir para o mundo, que sair da mãe para viver num mundo, nos relacionar com a matéria fora da mãe. É quando temos também o contato com nosso pai. Saindo do acolhimento e indo para o movimento.

Tem um exercício sistêmico que pode ser feito olhando para essa imagem: se coloque e se imagine no lugar da criança nos braços da mãe na pintura, que vai aprender a caminhar em direção ao Pai. Experimente e observe como você se sente quando se imagina criança indo em direção ao seu pai, sem ainda saber andar. Talvez venham medos, dúvidas, de “será que eu vou conseguir chegar lá?”, “será que eu consigo soltar o colo da minha mãe para ir pro mundo?”. E quando conseguir se imagine adulto, olhando pro mundo, para o horizonte com seu pai atrás de você agora. Depois compartillhe sua experiência.

Isso tudo é para te trazer a reflexão: como você está com relação ao seu masculino? Observe se você tem colocado movimento nas suas habilidades. Ter autoconfiança é ter a sua certeza que pode se movimentar, essa convicção ou certeza é a que ganhamos conforme damos passos, conforme aquela criança vai aprendendo a caminhar, a ir pro pai, a ir para o mundo.

Outro ponto importante, é a prática. É importante praticar. Confiança vem de fazer. Se você sabe que você fez algo cem vezes antes e você aperfeiçoou isto, você é demais naquilo. Confiança é experiência.

Quer ver como está sua autoconfiança?

  • Como você sabe que fez algo muito bem feito? Outra pessoa precisa te falar ou você sabe interiormente?
  • Como você lida com as ações do dia a dia?
  • O que te move? O que te impulsiona? Observe durante o seu dia quantas vezes toma a iniciativa para alguma ação (qualquer ação).
  • Observe no seu ambiente familiar, afetivo e amigos. Em quais situações você toma iniciativa de agir ou de decidir algo?

Que tal experimentar um exercício físico diferente do que já faz parte da sua rotina habitual? Será a oportunidade de iniciar (observando sua iniciativa) e usar sua vitalidade. Observe como se sente ao final do exercício.

Perceba como é que você está com relação a assertividade. A assertividade é a capacidade de agir de forma correta, sincera e pontual, ou seja, uma competência muito difícil de praticar diariamente, pois confundimos assertividade com agressividade.

Conhecer seu mapa natal também te guia no melhor caminho sobre como harmonizar essas energias e desenvolver equilíbrio. Quando nos harmonizamos com o nosso masculino, a agressividade e a passividade se harmonizam e a gente ganha confiança com amor naquilo que a gente faz e no nosso papel no mundo.