Mapa Astrológico e um masculino silenciado

É fundamental que o feminino e masculino dentro de nós caminhem juntos

O tema de hoje é sobre como enxergamos os homens da nossa família. Trazer reflexões e insights sobre essas histórias pode mudar a forma como lidamos com o mundo e com o social, porque na Astrologia Sistêmica nosso masculino vem do nosso pai, independente de como tenha sido ou é esse pai, e de todos os homens antes dele.

Na Astrologia Sistêmica, o masculino vem do nosso pai
Na Astrologia Sistêmica, o masculino vem do nosso pai (Foto: iStock)

Para essa reflexão, deixo a dica do documentário o Silêncio dos Homens, que foi produzido pelo Papo de Homem. Você pode encontrar esse documentário gratuitamente no Youtube. Ele fala de como o masculino é educado, visto e tratado e de como o silêncio emocional, verbal e social, pode levar a uma rigidez psicológica e a produzir distorções como a violência, a agressividade, crimes, abusos, e trazer também comportamentos depressivos e suicidas.

Esse é um convite para ampliar seu olhar. Sabemos de onde vem a repressão do feminino: do patriarcado. Seria importante trazer consciência também para o polo oposto. De onde vem a repressão do masculino? Ampliar nossa perspectiva muda tudo!

No Mapa aspectos com Sol, Marte e signos masculinos vão nos indicar como vamos lidar com a ação, a vida social, os relacionamentos e a nossa comunicação. Tensões nesses signos e planetas vão nos indicar processos que devemos buscar para curar essas histórias.

Muitas vezes focamos demais em trabalhar nossa vida emocional, nossa sensibilidade, amor, receptividade (aspectos femininos) e não compreendemos: por que não temos ação? Porque mesmo elaborando emoções, trabalhando internamente, não saímos do lugar? Porque os polos precisam estar em equilíbrio. É fundamental que o feminino e masculino dentro de nós caminhem juntos: Emoção x Ação, Mundo Interior x Mundo Exterior, eles precisam estar em harmonia.

O primeiro passo é identificar: que julgamentos você ainda traz? Que paradigmas você ainda repete? Como você se vê como filho? Como você se vê como pai? Como parceiro? Como você vê seu parceiro ou seu filho? Homens são ensinados desde a infância a suprimir seus sentimentos para cumprir um papel social de homem forte, inabalável, protetor e provedor da família, fazendo com que qualquer comportamento que esteja fora deste padrão seja visto de forma pejorativa.

Não podemos negar que estas crenças mantêm o machismo na nossa sociedade, uma vez que há a constante necessidade de colocar o homem em papel superior, ao passo que o conceito de feminino é visto como submisso ou inferior. De onde vem isso? Como olhar para o outro polo sem julgamento para podermos ter ações efetivas na transformação?

No Mapa Sistêmico vamos identificar quais são as crenças trazidas e as dores desse masculino. Fecho com um convite:

  • Para o seu feminino: descanse no seu feminino, o feminino é a receptividade, a alegria de viver, o belo, o amor, a gentileza e a generosidade.
  • Para o seu masculino: assuma sua vida, tome as rédeas da sua história, a força masculina é que nos faz prover, criar, agir.
  • Para as relações: que possamos nos abrir verdadeiramente para a partilha através do sentir, do diálogo, do cuidado, da proteção. Através da verdade e do respeito às diferenças.

Esse é um convite para mudar a forma que enxerga seu pai e seus ancestrais. Para que possa ser esse observador, e sair de dinâmicas nocivas de ataques e busca por culpados. Trazer o olhar da compaixão, porque só assim podemos fazer diferente. Onde tem julgamento, não tem mudança, apenas estagnação.