Um olhar sistêmico sobre a violência doméstica

“As histórias de abusos são muito mais frequentes do que podemos imaginar. Normalmente, vem de gerações e gerações antes de nós”

A série Maid na Netflix tem chamado a atenção para temas profundos e dolorosos, mas extremamente presentes na realidade atual. Nos atendimentos de Astrologia Sistêmica e Familiar, 7 entre 10 pessoas vivenciaram algum tipo de agressão/abuso, muitas vezes sem consciência de aquilo já existia na história dos pais, avós, bisavós. Muitos casos, em uma determinada relação, se tornam agressores e em outros, mudam o papel e se tornam vítimas.

A série Maid, da Netflix, trouxe reflexões importantes
A série Maid, da Netflix, trouxe reflexões importantes (Foto: Getty Images)

Essa série, Maid é sobre esse tema tão denso: abuso, e podemos ver claramente a repetição de padrões dentro de ambos os sistemas familiares, tanto dos agressores como das vítimas. No lado das vítimas, a protagonista, sem ter consciência à princípio que a mãe sofria abuso também, repete a dor, num contexto diferente, agora com feridas que não ficam visíveis através de hematomas: feridas psicológicas e emocionais.

No lado dos agressores, o parceiro que se torna abusivo repete o que viveu com a mãe que era agressiva e presa no uso de drogas. Ele se torna alcoólatra, e reproduz o comportamento de violência que sofreu quando criança: faz com a parceira em um outro contexto, o que a mãe fazia com ele.

Perceber essa repetição nos convida a quebrar o silêncio que é de certa forma o mantenedor desses abusos e talvez descobrir que não existem pessoas ruins, existem pessoas que sofrem. Pessoas que repetem traumas e sangram suas feridas umas nas outras.

Fazer movimento para quebrar o ciclo é a possibilidade de cura a todos. E essa série é sobre isso: sobre cortar o laço com a dor psíquica. E ter coragem de se afastar em definitivo de padrões que nos ferem. Sobre a coragem para interrompê-los e sobre a dificuldade dessa quebra. De como não existe heroísmo, e sim uma sequência de derrotas e o quanto é fundamental a ajuda. Em ambos os lados, agressores e vítimas.

Na Astrologia Sistêmica, o elemento fogo é o representante dos agressores e o elemento água o representante das vítimas.

  • Fogo: memória que trazemos das histórias relacionadas à violência, agressão, abandonos, acidentes, jogos, vícios, guerras, crimes, assassinatos.
  • Água: memória que trazemos das histórias relacionadas às dores, sofrimentos, sacrifícios, renúncias, abusos, lutos.

Pontos como Karma (padrões), Quiron (feridas de infância) e Plutão (dores profundas do sistema) nesses elementos, principalmente nos signos de Áries e Escorpião, vão indicar desafios dentro da família a serem curados relacionados à violência e sofrimentos. As histórias de abusos são muito mais frequentes do que podemos imaginar. Normalmente, vem de gerações e gerações antes de nós.

Trazer consciência é o primeiro passo para romper esse ciclo de dor, para iniciar essa jornada de encontro consigo mesmo, e não levar adiante esse legado de sofrimento aos seus filhos, netos, bisnetos, por isso, sempre busque ajuda, quebre o silêncio. É preciso enfrentar a gravidade dos abusos, caso contrário, esse problema permanecerá nas sombras nos assombrando.