Cordão umbilical enrolado no pescoço: entenda porque você não precisa se preocupar

Está na hora de deixar esse mito pra trás

Cordão umbilical enrolado no pescoço não é um problema como você pensa! (Foto: Getty Images)

Um dos maiores medos das mães é que alguma complicação ocorra durante a gravidez. É normal se sentir insegura e ter várias perguntas. O médico está presente exatamente para cumprir esse papel: esclarecer as dúvidas e certificar que a mulher esteja tranquila e ciente de tudo que está acontecendo.

Um receio comum entre as grávidasque sonham em ter o parto normal, é que o cordão umbilical enrole no pescoço do bebê seja necessário uma cesárea de emergência. Na verdade, isso não passa de um mito e uma desculpa que muitos médicos usavam para não fazer o parto normal.

O fato do cordão passar pelo pescoço do filho, não influência no tipo de parto que será feito. Inclusive, cerca de 1/3 das vezes isso acontece e quando ocorre o próprio médico, durante o parto, depois da passagem da cabeça do bebê, desenrola.

O cordão pode enformar o bebê?

Não! O sistema respiratório do bebê só vai funcionar pelo nariz depois que o cordão umbilical for cortado, já que ele é o responsável pela respiração enquanto o feto ainda está na barriga.

Quando a circular é um risco?

Se as circulares do bebê forem muito justas, no momento do parto, conforme o bebê for empurrado no canal, o cordão vai sendo comprimido. Então, na realidade, não é que ele é enforcado e sim que o fluxo de respiração é interrompido e o feto fica sem oxigênio.

Preciso me preocupar?

Não tem motivo porque não é um problema grave. Nós conseguimos identificar a falta de oxigênio ainda no trabalho de parto por meio de bradicardias fetais, ou seja, a gente identifica qualquer sinal de sofrimento fecal. Nesse caso, pode ser que aconteça uma cesária.

Leia também:

A bolsa estourou! E agora? 

Tampão mucoso: o que é e como identificar

Trabalho de parto: quando é a hora de ir ao hospital?