Escape de xixi na gravidez tem jeito: saiba a importância da fisioterapeuta

Ele também ajuda na hora de se preparar para o parto

Muitas mulheres engravidam mesmo com anticoncepcional e estudo explica o porquê (Foto: Getty Images)

Uma coisa que acontece em 1/3 das mulheres é a perda de xixi de forma involuntária por conta de algum esforço. Essa incontinência urinária é comum, mas não é normal.

Isso acontece pois, durante a gravidez, pode ter uma disfunções do assoalho pélvico, que fica na base da pelve e sustenta os órgão do abdome. Ele sofre com o peso durante a gestação e com a distensão para a passagem do bebê nos parto normal.

Quando essa musculatura fica disfuncional o sintoma mais comum é a incontinência urinaria ou o prolapso dos órgãos pélvicos que gera uma sensação de que algo está descendo pela vagina. Pode acontecer também incontinência de gases e fezes. Mesmo sendo menos comum, é grave.

Estar grávida é um fator que aumenta as chances de alguma disfunções de assoalho pélvico, mas também está relacionado com idade, menopausa e genética.

Quem pode ajudar a lidar com essa situação é a fisioterapeuta, mais especificamente aquele profissional que é especializada em mulheres gestantes, a fisioterapeuta obstétrica que está dentro da área saúde da mulher.

Ela vai ajudar a prevenir as disfunções e preparar para o parto, mas também lida com desconfortos físicos, mudanças de postura e prevenção de dores.

O ideal é que todas as mulheres tivessem uma fisioterapeuta para agendar uma avaliação. Os obstetras recomendam que a consulta seja no fim do 1° trimestre para evitar dores, desconfortos e para fazer exercícios de preparação para o assoalho pélvico e o períneo para aquelas que quiserem parto normal.

No pós-parto também é importante a consulta com a fisioterapeuta para reabilitar a musculatura do assoalho pélvico, que fica flácida pelos hormônios, por conta do parto e do peso do bebê.

Leia também:

Fisioterapeuta conta sobre a adoção de menina com paralisia cerebral severa

Parto normal x cesárea: saiba quais são as principais diferenças entre os dois

Mãe faz relato emocionante sobre parto normal da filha, depois de passar por cesárea