Gravidez: conheça os riscos da toxoplasmose

A “doença do gato” e sua relação com a gestação

Não há nenhum problema em ter gatos na gravidez (Foto: GettyImage)

Devido aos índices de toxoplasmose na cidade de São Paulo, o Dr. Igor Padovesi alertou sobre a doença, suas possíveis contaminações e algumas dúvidas relacionadas a ela.

A toxoplamose ou a popular, “Doença do Gato”, é uma infecção causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, o parasita mais comum do mundo, presente nas fezes dos gatos. Além disso, pode ser transmitida pela má higienização de alimentos ou mãos e em alimentos contaminados. Gestantes podem ser contaminadas e se a doença não for rapidamente detectada e tratada, pode ocorrer a contaminação do bebê (contaminação vertical).

Em fetos, a doença pode ir de assintomática à letal, dependendo do período de gestação. Os problemas mais recorrentes são: nascimento prematuro, baixo peso, icterícia (popularmente chamada de amarelão) e aumento no tamanho do fígado (hepatomegalia).

Felizmente, nem todos os casos de toxoplasmose aguda são transmitidos para o bebê, pois o protozoário muitas vezes não consegue atravessar a placenta. O risco de infecção é maior no terceiro trimestre e até mesmo no pós-parto.

É uma doença que geralmente não apresenta sintomas, mas quando apresentam, são semelhantes aos da dengue ou da gripe. Para se proteger da doença não é necessário fugir de todos os gatos, basta lavar bem as mãos após o contato e higienizar devidamente os alimentos.

Leia também:

Parto cesárea: o que você precisa saber

Por que é importante contar a gestação em semanas (e não em meses)?

Mãe escolhe não fazer exames no pré-natal e leva um susto na hora do parto