Colunistas

Parto humanizado: o real significado

A ideia da humanização do parto foi incorporada pelos movimentos de contracultura

A ideia da humanização do parto foi incorporada pelos movimentos de contracultura (Foto: Getty Images)

Toda gestante que começa a ler sobre cuidados pré-natais e parto logo se vê diante da expressão: parto humanizado. De cara, é bom entender que não se trata exatamente de um tipo de parto – é antes uma forma de se entender o momento do nascimento com foco nos dois personagens principais: a mãe e o bebê. Um cuidado em dar as boas-vindas a dois seres que estão vivendo um momento muito especial.

O assunto está cada vez mais sendo comentado no Brasil, tanto é que o Ministério da Saúde está diretamente envolvido em iniciativas como a implantação de Centros de Parto Normal, buscando uma atenção mais humanizada ao parto e ao nascimento.

A ideia de humanização do parto foi logo incorporada pelos movimentos de contracultura – os hippies, por exemplo –, mas, com o passar do tempo, foi se difundindo. A tendência se reforçou com pesquisas em outras áreas, como a Antropologia do Parto, que busca entender o aspecto cultural da forma como cada sociedade trata o nascimento.

Todas essas ideias foram motivando novas linhas de pesquisa sobre o parto e, aos poucos, provocando a revisão científica das evidências que levaram ao reconhecimento de que há práticas e usos da tecnologia que, hoje tidos como rotina, são danosos ou ineficazes. Foram se fortalecendo também os movimentos de grávidas em torno dessa demanda de mudança.

Veja o vídeo para saber mais sobre o assunto:

Leia também:

14 coisas que uma mulher pensa quando descobre que está grávida

7 coisas que as mulheres grávidas querem ouvir na real e sem mimimi

Um gif para cada signo: qual desenho representa o seu filho?