Tempo: o melhor presente que você pode dar ao seu filho

Colocar a mão na massa é uma delícia. Sim, dá preguiça, mas arrumar um espaço na agenda para brincar com as crianças traz benefícios para elas e para você

A primeira vez que sentei no chão pra brincar com meu filho, eu tinha um carrinho numa mão, o bebê na outra e não sabia o que fazer com os dois. Brincar me parecia algo tão simples mas naquele momento, travei. Na maternidade, muitas coisas que achamos que seriam naturais não são. O parto, a amamentação, o brincar… Tudo demanda um certo esforço da nossa parte, maior do que imaginávamos quando acariciávamos a barriga pensando no que estava por vir.

Passar um tempo de qualidade em família é fundamental para pais e filhos
Passar um tempo de qualidade em família é fundamental para pais e filhos (Foto: Shutterstock)

Quem passou pela pandemia com criança em casa sabe bem do que eu estou falando. Gabriel era um bebê de 9 meses quando entramos em lockdown e foi aí que a questão do desenvolvimento começou a me incomodar. Não tinha ajuda da escola, dos amiguinhos ou primos pra brincar junto, cabia a mim e ao meu marido criarmos um ambiente que o ajudasse a crescer de forma saudável. Minhas pesquisas começaram a se aprofundar neste momento. E o que eu descobri? Que nossos pequenos precisam mesmo de bons estímulos pra se desenvolverem.

Esse processo acontece no contato deles com os objetos, com o ambiente, com a natureza e com as pessoas. Como mãe de primeira viagem, nem sabia o que escolher numa loja de brinquedos. Me rendia às novidades do momento, ou à sugestão da vendedora que me oferecia brinquedos da faixa etária dele. É claro que eu não sabia o que estava fazendo. Não sabia de que forma aqueles objetos poderiam contribuir para o desenvolvimento do meu filho. Ou pior, atrasá-lo! Isso me incomodou muito.

O curso para pais que fizemos na maternidade antes do nascimento do Gabi não me preparou para encarar os desafios da primeira infância. Se eu mesma fui uma criança, como não saberia como brincar? Acho que muitos pais devem ter esse mesmo pensamento. Resultado: diante desse nosso despreparo, da desinformação, entregamos nossos filhos aos eletrônicos e tudo mais que dê conta de entreter nossos pequenos. “Entrega e confia!”, “Eles crescem de qualquer jeito”, alguns dizem. Mas nós podemos facilitar o processo, evitando que haja prejuízos no caminho.

Eu não estou falando de algo muito elaborado. Sentar e brincar junto. De início, me senti um pouco desconfortável mas com o tempo comecei a me divertir junto dele. Vrum! Paft! Ió, ió, ió! Encaixar, montar, empilhar… Fazer de conta… Enrolar massinha é melhor que massagem relaxante, construir castelos com pecinhas de montar é uma terapia. Desenhar qualquer coisa me leva à outros mundos. Ler histórias infantis me faz viajar. Pintar com a mão é uma delícia! Jogar bola, balançar no parquinho, nadar no mar, mexer na areia, subir em árvore, correr sem pensar em medalha ou tempo…

O desenvolvimento infantil é cheio de minúcias, mas ao mesmo tempo, é tão simples. Neste Natal, que tal dar um presentão pra sua criança que não está à venda em nenhuma loja de brinquedos? O seu tempo. Tempo de qualidade, olhos nos olhos, abraços e beijos sem fim, diversão… Só isso, ou TUDO ISSO, é suficiente pra eles crescerem bem, e de quebra, terem lindas recordações da infância. Seguimos juntos!