O que esperar das férias?

Cumprir a agenda que o tempo permitir é fundamental!

(Foto: Arquivo Pessoal / Nanna Pretto)

Durante muitos anos fui uma profissional liberal que empreendeu e cuidou dos próprios horários. A agenda de trabalho era bem flexível e compartilhada com a pessoal e a da família. Há um tempo isso mudou e eu tenho oficialmente dias de férias desconectada do meu trabalho. O que esperar desse momento?

Euforia foi o meu primeiro sentimento. Poder colocar uma resposta automática com a frase “estou de ferias e sem acesso aos e-mails” foi algo transformador. Sim, porque para quem sempre teve um pé na viagem e o outro na administração de uma empresa, desconectar é algo libertador.

Vou viajar, atualizar meus cursos, planejar viagens, treinar todos os dias, comer direito, ficar muito tempo com os filhos e organizar a minha vida para 2020. Esses foram apenas um dos meus pensamentos.

No meu primeiro dia em casa os meninos passaram o dia no playground brincando e nem tchum pra mim. Legal que a mãe ta em casa, né? “Mas agora eu quero brincar com meus amigos”. Entendi que deveria diminuir beeemmm as minhas expectativas.

(Foto: Arquivo Pessoal / Nanna Pretto)

Foi aí que entendi que uma coisa bacana das férias é ter tempo para se organizar por dentro, em pensamento, e por fora, em atitudes. Sem a agonia de acordar, pegar trânsito, trabalhar, administrar a casa, administrar filho, administrar crise, treinar na hora do almoço, engolir um almoço, trabalhar, pegar mais trânsito, chegar em casa e dar atenção pros filhos, pro marido e pra mim. Ou o que restou de mim.

Vejam, tive tempo de escrever vários textos para a coluna, vocês vão ver! Colocar minha casa em ordem. Fazer uma feira legal, preparar uma comida fresquinha, pensar em duas viagens, organizar a vida… Ah, e as prioridades. Essa tem sido a melhor parte.

Tempo. Como a gente fica louca sem ele. Como teimamos em esticá-lo, mesmo sabendo que não é elástico.

Aceitei que todo aquele planejamento é em vão e, se tem uma agenda que quero cumprir nas ferias, é aquela que o meu tempo permitir.

Sem neuras, sem culpa.

Como sempre deveria ser!

Leia também

Você não precisa de ajuda. Precisa de apoio!

E se eu não tivesse tido filhos?

Ajeita aqui e ali que dá!