Colunistas

Quando o despertador toca

Como é difícil acordar às 6 da matina, gente!

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Eu sempre tive dificuldade para pegar no sono. Isso não é uma novidade na minha vida e nem veio com a maternidade. Sou da noite, gosto de escrever na madrugada e até fazer uma faxina em casa às duas da manhã.

Mas a idade chega e as obrigações do dia a dia também. A principal delas (e que está fazendo eu mudar toda a minha rotina) é a escola dos meninos que passou para o turno da manhã.

Como é difícil acordar às 6 da matina, gente!

Lá em casa todo muito é do dia. Quem sofre mesmo ao acordar de madrugada sou eu. Aliás, o desempenho e a rotina dos meninos ficaram mil vezes melhor depois que eles passaram a estudar de manhã. Eles não dão o menor trabalho para acordar e saem fazendo piada um com o outro. Quem fica zumbi aqui sou eu.

E como eu sei que essa situação não é temporária, resolvi fazer alguma coisa. Quem sabe um milagre me fazia dormir antes da meia-noite?, pensei.

A primeira coisa foi deitar cedo, na hora da novela. Os meninos dormem por volta das 21h, já que acordam com as galinhas. E o que a pessoa aqui fazia? Ia escrever, editar vídeo, fuçar a internet… Agora a coisa mudou: chego em casa ficamos umas duas horinhas todos juntos e depois vamos para a cama.

Eu ainda demoro um tanto para pegar no sono. Estou tentando relaxar, ler um pouco ou tomar um chazinho. Também achei um aplicativo de meditação que está me ajudando muito. Tem várias opções de meditação, inclusive com duração. Até aqui eu nunca tinha conseguido meditar nem cinco minutinhos. Com fone de ouvido, musiquinha e meditação guiada deu supercerto.

Bem, também tenho a estratégia da boa taça de vinho que sempre dá certo (quem nunca?).

Aos poucos a minha rotina de sono vai entrando em ordem e eu vou acordando cada dia melhor. Quem sabe daqui a pouco não encaixo uma corridinha matinal após os meninos saírem para a escola?

Ahhh, família!

Leia também:

Cinco dentes e os primeiros passos. Ele cresceu!

Mais amor, por favor!

Uma horinha a menos

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não