Como fica a saúde mental das crianças em meio a adaptação escolar

São muitas mudanças e elas sentem isso. Carinho e empatia fazem a diferença nessa hora

No começo da pandemia, estava me recuperando de uma cirurgia, ainda havia muita especulação, uma enxurrada de informações. Uma delas era de que aqui no Brasil não chegaria por causa do clima quente. Parecia uma coisa distante de nós. Começou na China, depois na Itália, fiquei uns dias na clínica e enquanto estava lá vi que as coisas estavam piorando. Ao sair do hospital, fui pra casa, precisei dispensar minha funcionária. Eu não podia movimentar direito meu braço e precisei muito da ajuda da minha mãe e dos meus filhos.

(Foto: iStock)

A escola parou e antecipou as férias pra que eles pudessem preparar o ensino a distância. De início foi tranquilo. Até que começaram as aulas online. Foi um desastre. A Sofia na 5a série até então, começou a precisar da minha ajuda e eu fiquei doidinha rs. Tonta de tanta informação. Caiu o desempenho escolar dela e isso foi muito frustrante, porque no ano anterior, ela recebeu um prêmio pelo desempenho, fechando com média 9,6.

O Noah tinha entrado naquele ano na escola. Cogitei tirá-lo, mas pensei também que a escola precisaria das mensalidades pra pagar os funcionários e como diminuíram o valor, achei que valeria a pena mantê-lo e mantive. Se ele frequentou 3 meses naquele ano foi muito, pois eu precisava acompanhá-lo e não tinha esse tempo todo.

Eu comecei a reparar que as crianças ficaram um pouco diferentes. A falta da companhia dos amigos fez muita falta pra Sofia, pro Noah então, nem se fale. Ele se agitava e ficava bravo pois queria pôr pra fora toda aquela energia e ele já tinha explorado a casa toda e todos os brinquedos pareciam ter perdido a graça. Recebia ligações da orientadora da escola dizendo que a Sofia não estava entrando nas aulas. Tive que tirá-la do laptop e colocá-la no computador onde eu pudesse ver.

Entendi que naquele momento ninguém estava bem, então procurei uma psicóloga pra mim, depois pra ela. E hoje em dia estou pensando em colocar o Noah também. Terapia ajuda muito. Eu nem consigo imaginar a cabeça das crianças. Como elas estão lidando internamente com uma mudança tão drástica. Por incrível que pareça ser divorciada ajudou na questão de ter de quinze em quinze dias um lugar diferente pras crianças frequentarem e principalmente ter um tempo pra mim.

Sofri muito no começo da pandemia por ficar sozinha sem as crianças, mas hoje aprendi a usar esse tempo pra cuidar de mim. Agora somos um time infalível rsrs. Hoje, eles estão bem mais tranquilos. Sofia e Noah usam máscaras direitinho e até o momento ninguém pegou Covid, graças à Deus. Ou seja, essa doença já matou mais de 500 mil, mas já está mais que provado que os cuidados como o uso correto de máscaras, a higienização das mãos, o uso de álcool gel, podem evitar.

Em casa temos consciência do coletivo e estamos fazendo a nossa parte. Então gente, não desanimem, tenham esperança, usem máscaras e principalmente evitem aglomerações! A gente se encontra no próximo desafio e quem sabe, vacinados!