5 dicas para diminuir o lixo em casa

Alguns hábitos sustentáveis podem fazer muita diferença no dia a dia das famílias

Este é o quinto texto da coluna, no quinto mês do ano, não vou negar, sempre gostei do número cinco. Por isso escolhi 5 dicas sustentáveis para quem deseja diminuir a quantidade de resíduos gerados por sua casa.

É possível diminuir a produção de lixo em casa com algumas mudanças de hábitos (Foto: Arquivo Pessoal)

Importante lembrar que os resíduos aqui são: 1) Rejeitos, aqueles que precisam ser enviados para o aterro sanitário porque não são recicláveis. É o lixo mesmo. 2) Recicláveis. Tudo o que é reciclável e pode continuar circulando, gerando renda e evitando o uso de novos recursos. 3) Orgânicos. Restos de comida, cascas, sobras, etc. As dicas:

1. Instale uma ducha higiênica no seu banheiro

A fim de diminuir o tanto de papel higiênico enviado para o aterro, ter uma ducha higiênica pode ajudar. Você produzirá uma quantidade menor desse rejeito e, quem sabe, pode até aderir ao uso de  toalhinhas para secar o bumbum da família no dia a dia da casa.

11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

Está chegando! O 11º Seminário Internacional Pais&Filhos vai acontecer no dia 1 de junho, com oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: você pode participar dos sorteios e ganhar prêmios incríveis. Para se inscrever para os sorteios, ver a programação completa e assistir ao Seminário no dia, clique aqui!

2. Descubra o que é reciclado na sua cidade

Isso deveria ser meio óbvio, mas falamos tão pouco sobre o assunto que vale a pena destacar. Saber o que é ou não reciclado pelas cooperativas ou catadores da sua região ajuda a recusar um monte de resíduos que acabarão virando lixo. Por exemplo, o isopor é reciclável, mas pode não ser reciclado por aí. Sabendo disso, na hora de fazer compras você evitará os produtos com este tipo de resíduo.

3. Converse com seu “lixo”

Oi?! Isso mesmo. Bater um papo sério com nossas lixeiras pode ser bastante eficiente. Elas falam muito sobre quem somos. Revelam hábitos/escolhas que estão dando certo, outras que geram desperdício. Se possível, passe uma semana sem colocá-lo “pra fora”, para ter uma noção mais ampla do seu cenário. Traga as crianças para essa inusitada roda de conversa. Descubram juntos o que pode  mudar, e o que permanece.

4. É reciclável NÃO é suficiente

Geramos muito mais resíduos do que temos capacidade de reciclar. A média da reciclagem no Brasil é de 3%. Empresas de coleta seletiva, cooperativas e os catadores não dão conta de resolver o problema. Precisamos diminuir o que geramos. Se a indústria não descobriu formas sustentáveis de entregar seus produtos, a gente já sabe o que fazer. Sugestões: “Descasque mais, desembale menos”.  Prefira a feira do que o supermercado. Compre do pequeno produtor, sem embalagem. Coloque direto nos seus potes, na sua sacola reutilizável. Reduza tudo o que vem embalado.

5. Tenha uma composteira para chamar de sua

Pare de misturar rejeitos com orgânicos. Comida é pura vida, mas quando vai para o aterro, misturada com outros tantos resíduos, ela passa a ser nociva, produz gases de efeito estufa! Não queremos isso,  não é minha gente?! Quando devolvemos os restos de alimentos para a terra, eles voltam a gerar vida, mais comida. Existem métodos diferentes de compostagem. Você só precisa  descobrir qual é o ideal para sua família. Outra opção é contratar uma empresa que faça a gestão de resíduos orgânicos, elas também estão por aí.

É importante que você olhe para a sua lixeira e tenha noção do quanto de lixo que produz (Foto: Arquivo Pessoal)

E é isso! Espero que essas dicas te ajudem de alguma forma. Para saber mais acompanhe as dicas diárias compartilhadas nas redes sociais da Casa Sem Lixo.