“Volta às aulas” que vai marcar para sempre a vida de nossos filhos

O retorno trará tantos desafios quanto foi a migração para os estudos online. Mais do que nunca a parceria entre escola e pais precisa prevalecer

**Texto por Roberta e Taís Bento, mãe e filha, embaixadoras da Pais&Filhos, e fundadoras do site SOS Educação

Vivemos um momento inusitado para toda sociedade: as escolas reabrindo o portão para receber seus alunos de forma gradativa, em momentos diferentes, dependendo da região do Brasil. Não será apenas um “volta às aulas”. Será um novo começo. E como tudo que é novo, vai trazer insegurança, medo e ansiedade. Junto com essa mistura de sentimentos, há um esforço gigantesco de profissionais da educação, que também são mães, pais, filhos.

Volta ás aulas online (Foto: Getty Images)Quando a escola informar a você que está pronta para o retorno, inúmeras pessoas já terão se mobilizado para garantir ao máximo a segurança do seu filho. Para os professores, não houve até agora um só momento em que pudessem se deitar e dormir tranquilos.

E vem ainda um desafio maior pela frente. Manter o ensino remoto, ao mesmo tempo em que recebem alunos na sala de aula, é mais uma daquelas “missões impossíveis” que os profissionais da educação enfrentam. Quando o aviso de “estamos prontos, mal podemos esperar para ver nossos alunos de volta” chegar até você, lembre-se de que há histórias de vida por trás da mensagem. Quando esse aviso chegar, lembre-se de que você vai resolver, junto com a escola, qual o momento mais adequado para seu filho retornar. E lembre-se de que cada família tem o mesmo direito de tomar a decisão, de acordo com suas próprias crenças, necessidades, realidade. Tanto quem levar o filho para a escola, como quem decidir que o filho permaneça em casa, sentirá uma angústia enorme.

Não é o que sonhamos para nossos filhos: que não voltem para a escola, ou que voltem sem a liberdade que merecem. Mas é a realidade que todos, absolutamente todos estamos enfrentando. Concentre sua energia na parceria com a escola. Tanto se o seu filho voltar, como se ele permanecer estudando em casa, ele precisa que os adultos responsáveis pela sua educação estejam unidos. Não jogue fora energia boa julgando outros pais. Não deixe que a ansiedade que você sente consuma isso. Todos os funcionários da escola também estão saindo de uma tempestade. Tanto para as crianças que voltarem de imediato, quanto para aquelas que ainda se mantiverem estudando em casa por mais tempo, a prioridade será cuidar das emoções.

Fique tranquila, o conteúdo será recuperado aos poucos. Mais depressa do que conseguimos imaginar, essas crianças vão crescer. A relação que elas terão com os estudos e o protagonismo que vão assumir na construção do futuro que sonharem serão altamente impactados por esse momento. O sentimento de segurança que seu filho precisa só poderá ser encontrado na parceria que você estabelecer com a escola. Sempre que empatia e respeito predominam, as memórias que ficam são sentimentos positivos, mesmo em um momento desafiador como esse. Vai ficar tudo bem!