Colunistas

É possível adestrar gatos?

Adorable little grey tabby kitten seeing its reflection in the glass mirror standing on its hind legs staring mesmerized at the image, high angle view

Gatos podem, sim, ser adestrados! (Foto: iStock)

Quando digo que sou adestradora, a maioria das pessoas conclui imediatamente que só trabalho com cães. Certamente, eles são a maioria dos meu aluninhos, mas lido também com outros animais, principalmente os gatos. Pois é! Gatos podem, sim, ser adestrados, seja para obedecerem a comandos básicos de obediência e limite ou abandonarem certos problemas de comportamento, como agressividade, medo ou arranhões em locais indesejados.

E certamente podem ser ensinados a aceitar bem as crianças da casa! Isso porque uma das principais funções do adestramento é melhorar a comunicação e o vínculo entre os tutores e os pets, e os felinos obviamente estão inclusos nisso! Além disso, o treino como um todo estimula a mente do gato, deixando a vida dele muito mais divertida!

Contudo, como estamos falando de uma espécie totalmente diferente da canina, existem, sim, muitas diferenças entre a forma como o adestramento deve ser aplicado. A primeira delas é a escolha da recompensa.

Gatos têm paladar mais exigente, então talvez demore para o petisco preferido ser encontrado. Além disso, não podem ficar muito tempo sem comer, portanto, é preciso planejar os horários em que eles estarão com fome e interessados o suficiente para treinar.

Dentro do adestramento de felinos, um ponto essencial é enriquecer o ambiente e deixá-lo cheio de estímulos para eles, dando mais qualidade de vida e evitando a destruição dos móveis da casa. Prateleiras, túneis e arranhadores altos são excelentes para entreter o bichano.

Outras ideias bacanas são plantas não tóxicas e brinquedos com texturas diferentes. Um verdadeiro parque de diversões felino, que as crianças vão amar ajudar a montar, por apostar!

Outro ponto importante é a paciência. Ainda que gatos sejam muito inteligentes, eles têm um tempo de resposta mais demorado que o dos cães, por isso, os comandos precisam ser ensinados com calma e serem repetidos várias vezes. E como esses animais não mantém o foco por muito tempo, é essencial orientar os pequenos para não forçarem a barra com eles.

 Por fim, sempre orientamos os pais a ensinarem seus filhos a realizar os movimentos com suavidade, sempre respeitando os limites do animal. Isso vale também para os momentos de carinho: felinos são muito sensíveis e geralmente não gostam de serem apertados muito firmemente, então as crianças precisam encontrar uma forma bacana de interagir com eles.

Uma ótima dica é usar os brinquedos para esse momento, como varinhas com penas na ponta e ponteiras de laser. Como os bichanos amam brincadeiras de caça, todo mundo pode se divertir junto sem estresse.

Na próxima coluna, falarei sobre os melhores brinquedos para cães e gatos! Não perca.

Leita também:

Ensinando o cão a brincar de frisbee

Crianças que cuidam dos pets

Ensinando o cachorro a sentar

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não