Colunistas

Faz parte da família, sim!

Vai por mim: dá pra ter cachorro, gato, bebê, criança mais velha, tudo junto e misturado, sem problemas

(Foto: Arquivo pessoal)

(Foto: Arquivo pessoal)

Quando estava conversando com a editora-chefe Andressa Simonini sobre como me apresentar aqui, ela me perguntou:

– Qual sua primeira lembrança com um pet?

Fiquei um tempão pensando na resposta e não cheguei em nenhuma. A verdade é que eu simplesmente não consigo lembrar de uma existência sem algum bicho por perto. Cachorro, gato, passarinho, coelho… Até dois hamsters já fizeram parte da família. Em casa, nunca rolou aquelas neuras de se preocupar com pelos ou os animais poderiam transmitir doenças. A relação com os peludos sempre foi próxima e ter ao menos um bicho de estimação era fato concreto.

De fato, sempre fui conhecida entre os amigos como a “doida” dos bichos. Apesar disso, chegado o tão angustiante momento de escolher a profissão, confesso que não passou pela minha cabeça a ideia de trabalhar com eles. Em vez disso, o jornalismo foi o escolhido. Decidi seguir o que acreditava que era o meu forte: a comunicação.

E foi assim que fui parar na Pais&Filhos e comecei a gostar muito desse negócio de transmitir informação de forma simples e certeira aos leitores. Passados alguns anos, fui chamada para ser a editora-chefe da revista Meu Pet e uma chavinha virou na minha cabeça. “Como assim eu nunca tinha pensado em trabalhar com algo que eu tanto amo?” Apesar da insegurança com que iniciei o desafio, me surpreendi com a forma como o conhecimento adquirido no universo das crianças me ajudou a entender melhor o mundo dos animais.

Durante o tempo que passei editando a publicação, tive contato com diversos profissionais da área, entre eles, os adestradores. Para mim, o trabalho deles era pura magia. Afinal, treinar um cão para conviver bem com um bebê não me soava tarefa das mais fáceis. Por outro lado, ter a oportunidade de passar o dia com animais fofos e ainda ganhar por isso parecia um sonho. A sorte é que, com a ajuda dos treinadores incríveis que eram fonte das minhas reportagens, aprendi que o adestramento é uma via de comunicação entre o tutor e o animal. “Êpa! Comunicação? Não era nisso que eu era boa mesmo?”

Do sonho à realidade foram meses de indecisão sobre mudar a carreira e a melhor forma de fazer isso, mais meses intensos de treinamento para finalmente me tornar adestradora franqueada da empresa Cão Cidadão. “Ufa, consegui! Ok… Mas poxa, será que nunca mais vou ver um texto meu publicado por aí?” E foi aí que o universo deu uma forcinha mais uma vez e a Mônica, nossa amada diretora da Pais&Filhos, viu meu post contando sobre a mudança e me chamou. Para adestrar a Bowie, a vira-lata maravilhosa que sua filha Antonia tinha acabado de adotar, e para escrever uma coluna no site.

E cá estou eu! Nessa coluna semanal, vou dar dicas e orientações sobre como educar e integrar o pet na família da melhor forma possível. Vai por mim: dá pra ter cachorro, gato, bebê, criança mais velha, tudo junto e misturado, sem problemas, é tudo família! Com um pouquinho de paciência, dá pra levar seu cachorro até para o almoço de domingo na casa da sogra. De quebra, seus filhos ainda vão poder aproveitar os inúmeros benefícios de se crescer com os pets, como ter seu sistema imunológico reforçado (de acordo com várias pesquisas canadenses e americanas!) e até começar a ter algumas responsabilidades, como repor a água do bichinho, por exemplo. Então se você tem ou está pensando em ter um animal de estimação, não deixe de mandar suas dúvidas. Um beijo e até a próxima!

Leia também:

Ter um cachorro faz bem para seu filho!

Não sabe qual nome dar para o seu cachorro? A gente te ajuda!

10 fotos que provam que esse cachorro foi o melhor parceiro na hora do parto

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não