Pratinhos de cristal e pratinhos de borracha: eleger prioridades na rotina é fundamental

Cuidar da sua saúde mental é muito importante e, como é praticamente impossível dar conta de tudo no dia a dia, precisamos definir o que é essencial e o que pode ficar para depois

Em geral, as expectativas que colocamos sobre nossos próprios ombros é gigante. Como mães, pais, profissionais, sempre esperamos sermos exemplares, perfeitos, competentes e capazes. Antes de sermos mães ou pais, criamos planos e planos, recheamos nossas mentes de ideias de como queremos ser como mães e pais.

São muitas as coisas que precisamos lidar no dia a dia e está tudo bem não dar conta de tudo
São muitas as coisas que precisamos lidar no dia a dia e está tudo bem não dar conta de tudo (Foto: Getty Images)

Pois é, quando a realidade bate, quando nos vemos em plena função de todos os nossos papéis, percebemos que a vida de equilibrista está longe de ser perfeita. Mas talvez por isso ela seja tão estimulante, afinal, a maternidade/paternidade é um aprendizado constante. Esse friozinho na barriga e as descobertas que acontecem todos os dias nos fazem pessoas melhores, disso não tenho dúvida.

Nessa jornada, de tentativa e erro, uma das coisas mais sábias que aprendi e que prego sempre que posso é a de ter a inteligência de separar o que é prioritário e essencial em nossas vidas daquilo que não é. Gosto de recorrer à imagem dos pratinhos que giram na mão da equilibrista e ver cada uma de nossas demandas e atividades como um dos pratinhos.

Temos o pratinho de cuidar da casa, o pratinho de cuidar dos filhos, o pratinho de cuidar dos pais, o pratinho da saúde e da atividade física, o pratinho do trabalho, o pratinho dos amigos, o pratinho do relacionamento afetivo, o pratinho da espiritualidade ou fé, o pratinho do tempo para si, o pratinho do descanso e podem seguir incluindo mais pratinhos.

E aí, o que chamo de inteligência equilibrista é termos a capacidade de discernir quais pratinhos são centrais em nossas vidas, ou seja, aqueles que precisamos cuidar com todo carinho e não podemos falhar de jeito nenhum. E tem os outros, aqueles que, se caírem, tudo bem. Dá para seguir a vida sem eles, resolver numa outra hora, relevar.

Pois bem, vamos chamar os pratinhos essenciais como sendo os pratinho de cristal e os demais, pratinhos de borracha. A metáfora se aplica às nossas vidas e as múltiplas demandas e cobranças que temos sobre nós. Precisamos identificar quais são para nós os pratinhos de cristal e quais são os de borracha. Aos de cristal, toda atenção é pouca. Já os de borracha, se cair, caiu.

Esse exercício de separação dos pratinhos é fundamental para sabermos onde colocar mais força e mais empenho. Afinal, se formos com força total em tudo vamos nos desgastar, ficar malucas ou até deixar todos caírem, mesmo que tenhamos todo o cuidado do mundo. Separar pratinhos é aceitar nossa incapacidade de dar conta de tudo e estabelecer prioridades. É ser humilde o suficiente e colocar nossa onipotência para descansar. Não somos super-heróis nem super-heroínas, longe disso.

Tendo essa consciência, o passo seguinte é pensar em como estabelecer essas priorizações. Afinal, como separo os pratinhos de borracha dos de cristal? Para minha própria vida organizei 3 perguntas básicas que divido aqui com vocês. A primeira coisa a fazer é criar a lista dos pratinhos, de tudo o que você faz e merece ser um pratinho em sua vida. Com a lista em mãos, para cada um, faça as seguintes ponderações:

  • Isso é realmente essencial, o que mais importa para mim?
  • Isso é algo que apenas eu posso fazer?
  • Isso é algo que me traz prazer e bem estar?

Se responder “sim” a pelo menos 2 das 3 questões, esse item merece estar na sua lista de pratinhos de cristal. Caso contrário, será um pratinho de borracha. Posso garantir que essa separação dos pratinhos me traz muita paz ao longo da jornada como mulher equilibrista. Até hoje faço minhas listinhas, penso em priorizações e, se o pratinho cair e ele não for de cristal, ploft e vida que segue!