Boa Notícia

Mãe também é gente: aproveite os apps de relacionamento para encontrar um novo amor

Só fique atenta e não publique fotos com seus filhos!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

whatsapp

Foto: Istock

A rotina corrida envolvendo casa, trabalho e os cuidados com os filhos faz com que, cada vez mais, pais e mães solteiros recorram aos aplicativos de relacionamento na hora de buscar por um novo envolvimento amoroso.  Entretanto, nessas horas, muitos se sentem inseguros quanto a uma questão: contar ou não que tem filhos?

Para a psicanalista e psicopedagoga Marjory Calumbi, filha de Cristina e Marclerio,a reposta para essa pergunta, que afeta sobretudo as mulheres, depende dos objetivos desta mãe. “Se a mulher quer apenas um encontro casual, não há a necessidade de falar dos filhos. Por outro lado, se ela espera algo mais sério, o ideal é expor o fato desde o início, para que o pretendente saiba o que vai encontrar”, argumenta.

Ainda que a sinceridade seja o melhor caminho para quem quer trazer o encontro virtual para a realidade, não se pode negar que muitas mulheres sofrem preconceito e até agressões ao deixar claro que são mães. Nesses casos, contudo, orienta a psicanalista, é preciso que a mulher tenha claro que a criança não é um problema. “A criança é um membro da família desta mulher, como assim o é o irmão, a mãe, etc. A mulher precisa ter claro para si que o problema não está com ela, está com o outro, com o que agride e é preconceituoso.”

Cuidados
Mesmo que os apps de relacionamento estejam cada vez mais populares, Marjory lembra que estes usuários estão muito vulneráveis a se depararem com mentiras e distorções. Portanto, ressalta ela, é preciso que mães e pais resguardem as crianças, não fornecendo informações sobre elas, nem expondo fotos, por exemplo. “Não há problemas falar que têm filhos, mas outras informações devem ser evitadas a princípio”, finaliza.

Leia também:

Sem estresse: Saiba como preparar seu filho para voltar à rotina escolar

Meditação agora virou matéria escolar

Você sabia que educação emocional virou matéria escolar?