10 dicas para acabar de uma vez por todas com o mau comportamento do seu filho

Fazer com que uma criança de 3 anos se comporte pode ser um desafio. O truque é consistência e aprender a escolher suas batalhas

Enfrente seu filho de 3 anos por todos os maus comportamentos e você estará em guerra o dia todo (Foto: Getty Images)

Agir com autoridade – sem se tornar autoritário – não é fácil, especialmente no calor do momento, mas separamos algumas técnicas que podem te ajudar:

-Publicidade-

Escolha suas lutas

Enfrente seu filho de 3 anos por todos os maus comportamentos e você estará em guerra o dia todo. Em vez disso, liste os principais comportamentos que realmente te incomodam – porque são perigosos, incultos ou irritantes. Para aqueles que você considera proibidos – andar de triciclo na rua ou sair de casa sem um adulto, por exemplo – estabeleça regras claras e específicas e consequências lógicas.

-Publicidade-

Morder de volta, por exemplo, não é uma consequência lógica para uma criança que morde, porque simplesmente ensina que a um adulto também pode morder. Um lembrete de por que não é agradável morder e um breve intervalo de “castigo” em um local chato faz mais sentido. Sempre siga a disciplina que você escolher. A falta de consistência confunde as crianças e promove a rebelião.

Por má comportamentos menos graves – mentir, não dividir, xingar – desenvolva uma política geral, mas lide com cada caso à medida que surgir. Quando seu filho estiver se sentindo cansado, doente, com fome ou enfrentando estresse (por uma mudança ou divórcio, por exemplo), você precisa ser flexível.

Prática de prevenção

Use o conhecimento que você tem do seu filho para evitar explosões desnecessárias. Se ele gosta de limpar os armários da cozinha enquanto você prepara o café da manhã todas as manhãs – e isso te deixa louca – compre fechaduras; se ele não conseguir tirar as mãos do videocassete, coloque-o fora do alcance. A segurança das crianças faz maravilhas na redução dos conflitos familiares.

Além disso, planeje-se com antecedência. Se o seu filho tende a ser feliz e elétrico pela manhã, mas está cansado e mal-humorado após o almoço, agende viagens à loja e visitas ao médico no horário em que ele está melhor. Para evitar o tédio, leve um saco de brinquedos ou lanches. Também prepare-o para essas mudanças: “Em alguns minutos, precisamos pegar os brinquedos e nos preparar para ir para o hospital”. Quanto mais preparada uma criança se sente, menor a probabilidade dela fazer birra

Fique calmo

Se você não pode evitar o mau comportamento, encare-o com calma. Tente usar um tom de voz calmo, tranquilo, neutro e positivo. E lembre-se de que as sugestões (“Por que você não lava as mãos agora para que esteja pronto para comer quando eu servir o jantar?”) promovem muito mais cooperação do que os comandos (“Vá lavar as mãos agora!”) ou críticas (“Suas mãos e rosto estão sujos!”).

Também ajuda a transformar suas falas em “Eu” em vez de “Você”. Por exemplo, em vez de dizer: “Você é tão egoísta que nem compartilha seus brinquedos com seu melhor amigo”, tente “Eu gosto mais quando vejo crianças compartilhando seus brinquedos”. Outra boa técnica é focar no que fazer e não no que fazer. Se você disser a um garoto de 3 anos que ele não pode deixar seu triciclo no corredor, ele pode querer discutir. 

Finalmente, certifique-se de que seu tom e palavras não impliquem que você não ama mais seu filho. “Eu realmente não suporto quando você age assim” soa duro, mas “Não gosto quando você tenta puxar latas das prateleiras das lojas” mostra ao seu filho que esse é um comportamento específico que você não gosta.

Ouça com atenção

As crianças se sentem melhores quando sabem que foram ouvidas, portanto, sempre que possível, repita as preocupações do seu filho. Se ele está choramingando no supermercado porque você não o deixa abrir os cookies, diga algo como: “Desculpe por fazer você se sentir assim, mas a loja não deixa que a gente abra as coisas até que sejam pagas. Essa é a regra”. Isso não vai satisfazer seu desejo, mas reduzirá sua raiva e neutralizará o conflito.

Explique suas regras

Raramente é óbvio para um garoto de 3 anos por que ele deve parar de fazer algo que acha divertido – como morder, bater ou pegar brinquedos de outras crianças. Ensine-o a empatia: “Quando você morde ou bate nas pessoas, isso as machuca”; “Quando você pega brinquedos de outras crianças, elas se sentem tristes porque ainda querem brincar”. Isso ajuda seu filho a ver que seu comportamento afeta diretamente outras pessoas e o treina para pensar primeiro nas consequências.

Quando você quiser que seu filho pare de fazer algo, ofereça maneiras alternativas de expressar seus sentimentos (Foto: Getty Images)

Ofereça opções

Quando uma criança se recusa a fazer – ou para de fazer – alguma coisa, o problema real geralmente é o controle. Portanto, sempre que possível, controle seu filho oferecendo um conjunto limitado de opções. Em vez de ordenar que ele limpe seu quarto, pergunte: “O que você prefere fazer primeiro, limpar seu quarto ou a sala?”. Entretanto, verifique se as opções são limitadas, específicas e aceitáveis ​​para você. 

Forneça alternativas

Quando você quiser que seu filho pare de fazer algo, ofereça maneiras alternativas de expressar seus sentimentos. Ele precisa aprender que, embora suas emoções e impulsos sejam aceitáveis, certas maneiras de expressá-las não são. Além disso, incentive seu filho a pensar em suas próprias opções. Aliás, crianças de 3 anos podem aprender a resolver os próprios problemas. O truque é ouvir suas ideias com a mente aberta. Não abata nada, mas fale sobre as consequências antes de tomar uma decisão.

Opte por um intervalo de “castigo”

Nos momentos em que o raciocínio, as alternativas e a calma não causam impacto, use intervalos: coloque seu filho em um lugar sem graça para sentar por um breve período e se recompor. Isso dá a você a chance de esfriar a cabeça e passa a mensagem de que o comportamento negativo dele não chamará sua atenção. Quanto menos você recompensar qualquer comportamento negativo com atenção, menos seu filho usará esse comportamento para conseguir o que quer.

Admita seus erros

Não deixe de informar seu filho quando você estiver brincando, desculpando-se e explicando por que você agiu de determinada maneira. Isso ensinará a ele que não há problema em ser imperfeito.

Conceda recompensas

É altamente improvável que seu filho sempre faça o que você diz. Se isso acontecesse, você teria que pensar no que poderia estar errado com ele! Crianças normais resistem ao controle e sabem quando você está pedindo que façam algo que elas não querem. Elas então se sentem justificadas em resistir a você. Nos casos em que elas se comportam adequadamente, um prêmio pode ser uma ótima ideia.

O uso de guloseimas e prêmios especiais é apenas mais uma maneira de mostrar a seu filho que você está ciente e respeitando os sentimentos dele. Isso, mais do que tudo, dá credibilidade às demandas de sua disciplina.

Leia também:

Mãe pede a policiais ‘prenderem’ filho de 10 anos por mau comportamento

6 problemas de comportamento do seu filho que você não deve ignorar

3 dicas de ouro para o bom comportamento do seu filho