13 estados brasileiros negam que exigirão prescrição médica para vacinar crianças entre 5 e 11 anos

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista recente, havia afirmado que o imunizante só poderia ser aplicado com esse pedido e um termo de consentimento livre esclarecido

Resumo da Notícia

  • 13 estados e o Distrito Federal disseram que não irão exigir um documento para vacinar as crianças de 5 a 11 anos
  • A questão ficou em dúvida, após um pronunciamento do Ministro da Saúde, Marcelo Quiroga
  • No dia 23 de dezembro, ele comentou que as doses só seriam aplicadas nessa faixa etária com uma prescrição médica

Após o Marcelo Queiroga, Ministro da Saúde, declarar na última quinta-feira, 23 de dezembro, que a pasta iria autorizar a vacinação contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos, porém sendo necessária uma prescrição médica e um “termo de consentimento livre esclarecido”, alguns estados se posicionaram sobre o assunto.

-Publicidade-
Dose reforço
Estados brasileiros dizem que não vão pedir prescrição médica para vacinar crianças (Foto: Reprodução / Getty Images)

Seguindo o posicionamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), de acordo com o G1, pelo menos 13 estados brasileiros e o Distrito Federal afirmaram que não irão exigir pescrição médica para aplicar a vacinação em crianças desta faixa etária.

Confira a lista de estados que já disseram que não irão exigir o documento para a vacinação

  • São Paulo
  • Minas Gerais
  • Espírito Santo
  • Paraná
  • Bahia
  • Pará
  • Pernambuco
  • Acre
  • Maranhão
  • Ceará
  • Goiás
  • Mato Grosso do Sul
  • Paraíba

Os demais estados ou não se pronunciaram ainda ou dizem que irão debater o assunto. A imunização acontecerá com a vacina da Pfizer. Em nota à CNN Brasil, a empresa informou que a data prevista de entrega das doses é janeiro de 2022, porém não houve uma confirmação de dia.

Junto a isso, o Ministério da Saúde lançou um documento de consulta pública sobre vacinação de crianças entre 5 e 11. Desde o dia 24 de dezembro de 2021 até dia 2 de janeiro de 2022, a população poderá opinar sobre esse assunto.

No dia 16 de dezembro, a vacina da Pfizer foi autorizada para uso infantil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável por essa questão, a partir dos dados divulgados até este momento.