5 coisas que você precisa saber sobre os dentes das crianças

Não deixe que seus filhos aprendam da maneira mais difícil a importância da escovação. A gente te indica passos simples para você explicar para as crianças sobre higiene bucal

Resumo da Notícia

  • As crianças precisam de acompanhamento no dentista desde o começo
  • Desde pequenos as pastas devem ser com flúor
  • O fio dental é obrigatório todos os dias
Cuidados com escovação começam desde cedo (Foto: Getty Images)

Muitas questões envolvem a escovação infantil, como: quantas vezes ao dia as crianças devem escovar os dentes? Quando devemos começar a usar o fio dental? O que fazer se a água que sai da torneira não é fluoretada? Se eu não cuido bem dos meus dentes, posso passar isso para meus filhos? Aqui você vai encontrar soluções dadas por especialistas e um plano de ação. Courtney Chinn, odontopediatra em Nova Iorque e professor associado à Faculdade de Odontologia da Universidade de Nova Iorque, afirma que sempre haverá fatores genéticos que influenciam no quão saudáveis os dentes e gengivas dos nossos filhos serão. Mas os pais ainda podem ter uma grande influência no futuro da saúde bucal dos filhos modelando boas maneiras desde já. Preparada? Então vamos lá!

-Publicidade-

1- Use boas técnicas:

Existe uma única palavra para a prática de escovar os dentes agressivamente no movimento de frente para trás: NÃO! Isso pode prejudicar dentes e gengiva, afirma Chinn. Incline as cerdas da escova um pouco em direção à gengiva e gentilmente escove em pequenos círculos, tocando toda a superfície de cada dente. A recomendação geral é de escovar os dentes das crianças durante dois minutos (30 segundos em cada quadrante da boca). Mas Harvell indica: “Se o seu filho tem dois dentes, você não tem que escovar durante dois minutos! Assim como você não vai escovar durante todo esse tempo os dentes do seu filho de 3 anos que é muito agitado”. O que vale mais é a sua técnica e o quanto de placa você consegue remover nesse processo.

2- Use pasta com flúor desde o começo:

Alguns pais têm medo que seus filhos engula a pasta de dente nas primeiras vezes em que a usarem, por isso preferem comprar as que vêm sem o flúor. Entretanto, a Associação Americana de Dentição recomenda a pasta fluoretada assim que o primeiro dente do bebê nasce. No começo, use pequena quantidade, como um grão de arroz. Depois, mude para o tamanho de uma ervilha quando seu filho tiver 3 anos. Esses cuidados são necessários porque hoje em dia as cáries dentárias em crianças pequenas é quase epidêmica, afirma Chinn, que viu crianças de 2 anos precisando de tratamentos que requerem até anestesia no consultório. Cerca de uma em cada quatro crianças em idade pré-escolar nos Estados Unidos já teve cárie e esse número cresce quase 55% no jardim de infância: “A cárie é a doença mais comum na infância, sendo de cinco a oito vezes mais comum que asma”,declara Chinn. As consequências são ainda piores. “Ela pode interferir na habilidade de comer, dormir, falar corretamente, aprender ou prestar atenção na escola”, ele afirma. A pasta com flúor pode bloquear as cáries ajudando a mineralizar novamente áreas do dente que foram bombardeadas por bactérias. Se na sua região a água não é fluoretada, seu odontologista pode indicar suplemento diário, como pastilha mastigável. Existem pessoas preocupadas com toxinas na água com flúor. Porém, o Centro de Controle de Doenças dos EUA, a Academia Familiar de Físicos e a Academia Americana de Odontopediatria apoiam completamente essa prática.

-Publicidade-

3- Vá ao dentista o quanto antes e com frequência:

Os adultos precisam checar os dentes e fazer uma limpeza pelo menos duas vezes ao ano. O mesmo vale para as crianças, Mas é recomendado que você leve seu filho ao dentista próximo a um ano de idade também. Além de fazer um exame bucal, o especialista terá um histórico dental da criança, ensinará os pais a forma de escovação correta e a de prevenir cáries. A visita também avalia o risco, afirma Lezli Levene Harvell, odontopediatra em Nova Jersey, EUA, mãe de cinco meninas: “Se uma mãe me diz que teve diversas cáries quando era pequena, automaticamente eu penso que o filho dela tem um risco maior”, completa. E você vai acabar criando um “lar” do dente para o seu filho, onde você terá as mais novas informações e a certeza de que os problemas serão detectados enquanto ainda são fáceis de serem resolvidos. “Se olharmos a boca de uma criança desde cedo, podemos tratar a cárie com flúor para que não seja necessário um tratamento mais severo”, afirma Chinn. Se o preço te preocupa, saiba que o tratamento pode ser coberto pelos planos de convênios médicos. Além disso, crianças que foram ao dentista perto do primeiro ano de idade, normalmente têm gastos 40% menores nos primeiros cinco anos de vida do que aquelas crianças que não começam as visitas nessa idade.

4- Limpe já, com as ferramentas apropriadas:

Comece a escovar antes mesmo dos primeiros dentes aparecem usando escova apropriada para essa fase, esfregando a gengiva uma vez ao dia. “Eu tenho muitos pais que dizem ‘Sério mesmo?’ Mas a literatura mostra que mesmo antes de a criança ter dentes, existem bactérias causadoras de cáries nas dobras da língua”, diz a especialista. Você pode evitar que essas bactérias cheguem na boca do seu filho evitando o compartilhamento de saliva: não usem os mesmos talheres ou copos e não limpe esses itens que caem no chão com a sua boca. E a partir do primeiro dente mude a escova para uma com cerdas macias e pasta com flúor. “O ideal é escovar depois do café e do jantar”, diz Harvell. Até os 6 anos, quando os molares chegarem, escove você mesma os dentes dele ou faça isso depois dele fazer sozinho, já que é difícil para as crianças alcançarem os dentes que estão mais no fundo.

5- Fio dental é diário. Isso não é opcional:

“Eu posso te dizer quantos pais pensam que passar fio dental é algo que você só faz quando os dentes permanentes aparecem”, afirma Harvell. “Na realidade você deve começar quando os dentes passam a encostar uns nos outros. Não importa o quão bem você os escove, se eles estão se tocando você não conseguirá tirar toda a comida ou placa que estiver ali”, completa a especialista. Técnica aqui também é importante. O fio dental próprio para crianças é bom, contanto que você o use firmemente contra os lados de cada dente. “Insista no uso do fio dental, mesmo que seja difícil”.

-Publicidade-