;
Criança

5 dicas para facilitar conversas difíceis com seu filho

Seja qual for assunto, essas sugestões vão te ajudar a ter um diálogo mais tranquilo

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Você precisa ler essas dicas! (Foto: Getty Images)

Muitas vezes, as crianças não estão preparadas para lidar com situações difíceis. Porém, você sabe que é necessário abordar alguns assuntos com elas. Vamos te dar algumas dicas para facilitar essas conversas.

1. Hora certa
As manhãs de fim de semana são preferíveis porque você não está correndo para sair com todo mundo e seus filhos podem falar com você se tiverem dúvidas.

“Mesmo que os filhos pareçam estar de bom humor, um cérebro sonolento não pode receber informações e, qualquer lágrima ou pergunta ansiosa, dificulta o relaxamento”, diz Dawn Huebner, psicóloga clínica e autora do livro infantil de autoajuda “O que fazer quando você se irrita demais”.

2. Ensaie antes
Se a situação for muito emotiva para você – por exemplo, o animal de estimação precisa ser sacrificado ou alguém da família está doente – reserve um tempo para praticar o que você vai dizer. Isso te ajudará a dar as notícias de uma maneira mais fácil. “Está tudo bem para as crianças verem que seus pais estão tristes, mas se você está chorando ou com dificuldades de falar, seus filhos podem ficar assustados”, diz a Dra. Huebner.

3. Fale com ele de uma forma simples
Conceitos complexos como mudança de casa, divórcio ou morte são difíceis de serem compreendidos pelas crianças. Se você falar muitos detalhes, eles podem ficar sobrecarregados ou desatentos. Procure usar frases curtas e diretas, com explicações apropriadas para a idade.

4. Valide as emoções
Rotular as emoções pode ajudar seu filho a colocar em palavras o que ele está sentindo. Você pode dizer: “Parece que isso te deixa triste” ou “Isso é assustador?”, mas resista ao impulso de pular para o “modo consertar”.

É tentador minimizar os sentimentos dizendo para ele não ter medo, mas lembre-se: o que quer se seu filho esteja sentindo é real e é válido para ele. “As crianças precisam sentir-se antes de poderem passar para coisas como processamento e solução de problemas”, diz a Dra. Huebner.

5. Volte ao assunto
“A conversa não acaba quando termina”, diz Paige Greytok, psicoterapeuta familiar. Com um assunto difícil, as crianças terão perguntas. Por isso, deixe claro que você está sempre disponível para discutir o assunto novamente e que elas podem vir até você com dúvidas ou preocupações grandes ou pequenas.

Leia também:

Seu filho anda mentindo para você? Vamos te dar algumas dicas para identificar

8 dicas para criar uma rotina de sono para o bebê

Mãe fala sobre experiência de viver em uma família grande e dá 5 dicas que podem te ajudar