6 dicas que podem tornar a rotina da criança com autismo mais leve durante a quarentena

A Nat Geo Kids se uniu a Liga Colombiana de Autismo (LICA) e desenvolveu uma cartilha com dicas de como entreter crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Resumo da Notícia

  • No dia 18 de maio a Nat Geo Kids lançou uma série chamada Pablo
  • Ela conta a história de um menino de 5 anos cujos desenhos criativos ganham vida no "Mundo da Arte"
  • O principal objetivo  é conscientizar e promover a integração e a conversa sobre TEA (Transtorno do Espectro Autista)
  • O canal se uniu a Liga Colombiana de Autismo (LICA) e desenvolveu uma cartilha com dicas de como entreter essas crianças
 
(Foto: reprodução/ Getty Images)

No dia 18 de maio a Nat Geo Kids lançou uma serie chamada Pablo. Ela conta a história de um menino de 5 anos cujos desenhos criativos ganham vida no “Mundo da Arte” e tem como principal objetivo conscientizar e promover a integração e a conversa sobre TEA (Transtorno do Espectro Autista).

Desta forma, o canal se uniu a Liga Colombiana de Autismo (LICA) e desenvolveu uma cartilha com dicas de como entreter crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), durante o período de quarentena. Com ajuda da terapeuta Sandra Milena Grisales, membro honorário da LICA eles apresentaram 6 dicas.

1. Observe seu filho(a) e identifique o que os relaxa ou os ativa. Por exemplo, se você notar que ele(a) está deitado em um tapete de material macio e, quando toca nele(a), sente que está calmo e respirando corretamente, isso pode ser um estímulo que gera calma. Considerando que, se você observar que ao ouvir um tipo de música se exalta, isso representa um estímulo que o ativa.

2. Brinque com jogos de causa-efeito, pois permite a interação através de estímulos sensoriais e pode ser realizado em pequenos espaços, como por exemplo: cócegas, atividades de salto, soprar bolhas ou até mesmo interações simples com brinquedos de luz, visuais, táteis entre outros.

3. É essencial criar ou disponibilizar estímulos sensoriais que permitam que seu filho(a) canalize sua energia. Uma bola grande (como as de pilates) ou uma rede na qual ele(a) possa balançar, são exemplos que funcionam para que ele(a) não perca os estímulos que costumava fazer fora de casa e o ajudava a modular e canalizar emoções. “Não estamos dizendo que é necessário reformar a casa. O equilíbrio pode ser alcançado mesmo com algo simples.”

4. Organize uma rotina diária! É de vital importância estabelecer rotinas ao criar horários de acordo com as atividades, pois isso permite antecipar as demandas que possam surgir para gerar/criar um ambiente familiar oportuno. Este conselho é para crianças, jovens e até adultos com TEA.

(Foto: Getty Images)

5. Encontre motivadores ao iniciar uma atividade. O envolvimento e interesse nas atividades a serem realizadas pode facilitar a execução delas. Muitos pais enfrentam o desafio de propor atividades e encontrar rejeição de seus filhos ou filhas. Eles devem pensar e definir uma ação para motivá-los a executar as tarefas.

6. Recorra a fontes de entretenimento seguro que estejam disponíveis. Nesse sentido, Grisales destaca Pablo como um exemplo. A série animada, diz a especialista, “permite que os pais entendam muitos comportamentos que podem estar ocorrendo em seus filhos e filhas e, ao mesmo tempo, meninos e meninas com TEA podem se inspirar na maneira como o protagonista se transforma seus sentimentos e expressa suas emoções em desenhos.”

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!