7 em cada 10 crianças da rede estadual de SP têm sinais de ansiedade e depressão

Os números levantados pela Seduc (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) em parceria com o Instituto Ayrton Senna são preocupantes e é importante que você saiba como identificar o problema caso ele apareça na sua casa

Resumo da Notícia

  • 7 em cada 10 crianças da rede estadual de SP têm sinais de ansiedade e depressão
  • Os dados são de um levantamento feito pela Seduc (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) em parceria com o Instituto Ayrton Senna
  • É importante saber como identificar os sinais do problema em casa

Um levantamento feito pela Seduc (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) em parceria com o Instituto Ayrton Senna chegou em um resultado preocupante. O levantamento, que foi divulgado nesta semana, mostrou que 7 em cada 10 estudantes da rede pública estadual apresentaram sintomas de ansiedade e depressão durante a pandemia de Covid-19.

-Publicidade-

Para chegar no resultado, o estudo contou com 642 mil alunos que participaram do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo). A pesquisa tornou possível analisar a evolução do desenvolvimento de competências socioemocionais durante a pandemia.

7 em cada 10 crianças da rede estadual de SP têm sinais de ansiedade e depressão
7 em cada 10 crianças da rede estadual de SP têm sinais de ansiedade e depressão (Foto: Getty Images)

Dentre os alunos que participaram da pesquisa, um em cada três afirmou que sentiu dificuldades em se concentrar no que é proposto na sala de aula. Outros 18% disseram se sentir totalmente esgotados e sob pressão e 18,1% disseram que perderam totalmente o sono pelas preocupações. Já 13,6% alegaram que perderam a confiança em si mesmo. Sinais que são ligados à ansiedade e depressão.

Vale ressaltar que as competências socioemocionais são organizadas em cinco macrocompetências: abertura ao novo, autogestão, engajamento com os outros, amabilidade e resiliência emocional.

Quando a ansiedade é um sinal de alerta?

Quando o momento de tensão se torna excessivo, contínuo e traz outros sintomas na bagagem, há indicativos de que algo não vai bem na rotina da criança. “Um exemplo é a queda do rendimento escolar, mudanças nos hábitos alimentares, quando há queixas de enxaqueca e também dores que não tem uma causa física”, explica a psicóloga Dra. Ana Gabriela Andriani, mestre e doutora pela Unicamp, filha de Claudilene e Delfino. Além disso, é importante ficar de olho também em:

  • Pesadelos recorrentes
  • Dificuldades para dormir
  • Dormir excessivamente
  • Medo frequente
  • Quando a criança passa a se isolar
  • Agressividade
  • Apatia

Como ajudar a criança se acalmar?

O primeiro passo para tranquilizar a criança durante uma crise de ansiedade é manter a calma, pois desta maneira, naturalmente seu filho passa a ficar menos nervoso ou inseguro. A Dra. Ana Gabriela Andriani recomenda ainda que os pais não julguem ou briguem, mas sim que procurem entender o que aconteceu.

“É muito importante os pais mostrarem que estão presentes e prontos para ajudar e tentar entender o que a criança está sentindo. No geral, as crianças não sabem identificar os sentimentos, mas quando a família auxilia na compreensão, elas se acalmam”, comenta a especialista.

É essencial ainda mostrar para a criança que a crise de ansiedade vai passar. Mas, é recomendado que os pais procurem a ajuda de um psicólogo se o problema passar a acontecer com cada vez mais frequência e começar a atrapalhar a rotina da criança.

Tipos de ansiedade

Apesar de existirem vários tipos diferentes de ansiedade, a psicóloga listou os mais frequentes. São eles:

  • Estresse pós-traumático: quando há um fator de trauma na vida da criança
  • Transtorno de ansiedade de separação: pode estar relacionado desde ter que deixar os pais para ir a escola, ou até mesmo ao luto de perder alguém importante
  • Transtorno de pânico: é pontual e vem carregado de sintomas físicos e emocionais
  • Ansiedade comum: na qual a maior parte das crianças e adultos possuem

O que causa problemas de saúde mental em crianças?

Questões de saúde mental não ocorrem devido a situações triviais, como um menino estar deprimido porque ele tem que limpar seu quarto. Em muitos casos, as causas de depressão, ansiedade e outros problemas são uma combinação de diferentes fatores, como saúde física, traumatismo da vida, meio ambiente e até mesmo história familiar e genética.