Criança

Absurdo: Metrô demorou 1 hora para autorizar busca de menino que foi morto no túnel

Luan morreu após ter se separado dos pais na Linha Azul

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

No penúltimo domingo do ano passado (23), o jovem Luan, de apenas 3 anos, morreu ao ser atingido por um trem na linha azul do metrô de São Paulo. A criança estava no colo da mãe e desceu por um momento, para que ela pudesse pegar a bolsa. Nesse momento, as portas se abriram e Luan acabou saindo junto com a multidão.

Assim que os pais perceberam, ficaram desesperados, porque não dava mais tempo de atravessar pela porta. Eles tiveram que seguir até a próxima estação para voltar, assim que chegaram e perceberam que o menino não estava lá, notificaram o metrô do desaparecimento.

Após os seguranças serem acionados, eles iniciaram as buscas pela plataforma, mezanino e shopping. O metrô levou 1 hora até ser autorizado a busca do menino pelo túnel da linha azul, onde Luan estava. Quando chegaram, os seguranças o removeram já sem vida.

Infelizmente, entre 2015 e 2017 os casos de invasões aos túneis do metrô aumentaram 41%, desde vandalismo até suicídio. A companhia, com o objetivo de aumentar a segurança e diminuir as interferências no trilho, colocará portas automáticas nas plataformas. O resultado da licitação deve sair em fevereiro e custará em torno de 400 milhões de reais. Essa tecnologia é muito comum fora do país e em São Paulo algumas estações já são disponíveis.

De acordo com os metroviários, a falta de funcionários no metro implicou na morte do garoto, já que não tem agentes suficientes para proteger a segurança dos passageiros.

Leia mais: 

“Queria ele de volta”, desabafa mãe de menino de 3 anos morto nos trilhos do metrô de SP 

Menino de 3 anos se perde da mãe e morre no metrô de São Paulo

Gostamos! Metrô de SP para porque tinha um cachorro nos trilhos