Alunos brasileiros participam de torneio internacional de matemática na China e são destaque

Professores e CEO da Maple Bear destacam a importância do trabalho em equipe e da segunda língua

Os professores foram essenciais na preparação dos alunos (Foto: Arquivo pessoal)

Durante os dias 21 a 25 de novembro, os alunos da Maple Bear, representante oficial do ensino canadense no Brasil, participaram da World Mathematics Team Championship (WMTC), que é a maior competição de matemática da China.

-Publicidade-

Os 25 alunos, entre 10 e 13 anos, de quatro escolas do Brasil, sendo elas, Sorocaba e Jundiaí (São Paulo), João Pessoa (Paraíba) e Belo Horizonte (Minas Gerais), resolveram questões de diferentes dificuldades e participaram de provas individuais, de revezamento e em grupo, em Pequim.

No torneio de 2019, outros dez países participaram da competição e a Maple Bear, foi convidada pelo bom desempenho dos alunos. “É uma honra para a Maple Bear participar de uma Olimpíada Internacional de Matemática, e com alunos de todo o Brasil. Nossos times são formados por alunos de diferentes idades e séries, em perfeita sintonia trabalhando em equipe. Temos certeza que nossos alunos irão demonstrar em cada desafio os valores canadenses, com coragem e autonomia”, afirma Arno Krug, CEO da Maple Bear”.

-Publicidade-
Eles foram convidados para irem à Índia e à China (Foto: Arquivo pessoal)

Nádia Piazentin Pola, filha de Ines Regina e José Cláudio, é professora na instituição de ensino e contou como os alunos se prepararam para as provas: “Foi cotidianamente, por meio das aulas e também com reforços especiais, que aconteceram após o período escolar. Além disso, os professores de Matemática preparam conteúdos especiais para os grupos de estudo, que reuniram alunos de várias classes”.

Por iniciativa da escola e pelos próprios alunos, eles se organizaram para que pudessem estudar juntos, fazendo com que o intercâmbio fosse essencial nesse processo. “Nós queremos que cada aluno seja protagonista do seu próprio aprendizado, construindo a sua jornada do conhecimento entendendo que os acertos e erros fazem parte do processo. Preparamos em todas as esferas: tanto emocional quanto pedagógica, para que este aluno possa se desenvolver também em todas as dimensões da vida”, contou.

O CEO da Maple Bear ficou orgulhoso do desempenho dos alunos (Foto: Arquivo pessoal)

Nádia explicou que eles souberam das olimpíadas por causa da Matemática Sem Fronteiras e que no primeiro ano de competição, por causa do bom desempenho, alguns alunos foram convidados para ir à Índia em um evento internacional. Além disso, eles receberam um novo convite, mas dessa vez para participar das Olimpíadas na China. “O trabalho em equipe, e a possibilidade de conhecer uma outra cultura chamou muito a atenção dos alunos”.

O CEO da Maple Bear, Arno Krug Jr, filho de Arno Krug e Dircema Franceschetto, contou que está muito orgulhoso dos alunos e ressaltou a importância da segunda língua para a participação das competições: “O inglês é uma importante ferramenta de auxílio, mas o mais importante é competir sempre com o espírito de equipe em mente, colaborando para o crescimento de todos. Não esperamos medalhas, apesar de na maioria das vezes elas serem conquistadas, mas desejamos que cada experiência seja rica para nosso aluno. Assim, ter alunos de diferentes escolas participando de uma Olimpíada Internacional é significativo, pois demonstra um mundo de possibilidades para eles”, concluiu.

Leia também:

Learning in Depth: programa de educação internacional chega ao Brasil pela primeira vez

9 dicas para treinar o segundo idioma com seu filho no dia a dia

5 dicas para ajudar o seu filho a não pirar com a matemática

-Publicidade-