Atenção! Crianças mais velhas têm mais chance de transmitir covid do que mais novas

Segundo a OMS, a partir dos 11 anos as crianças têm mais predisposição a espalhar covid. A indicação é de que todas as crianças dessa idade usem máscaras, da mesma forma que adultos

Novos estudos mostram uma diferença na transmissão da covid-19 entre as crianças. De acordo com pesquisas, as crianças mais velhas têm maiores chances de transmitir a doença que as mais novas.

-Publicidade-
(Foto: Getty Images)

Sem citar números específicos, Maria van Kehkove, diretora técnica da OMS (Organização Mundial da Saúde), afirmou nesta quinta-feira que os dados apontam que são as crianças mais velhas que desenvolvem sintomas mais fortes e que seriam mais suscetíveis a serem contaminadas. “Todas as crianças podem transmitir, mas isso seria mais frequente entre as mais velhas”, disse a diretora.

De acordo com fontes da OMS, a “idade de corte” seria 11 anos de idade. No final da semana passada, a Unicef e a OMS chegaram a um acordo para sugerir que todas as crianças a partir dos onze anos usem máscaras, da mesma forma que adultos.

-Publicidade-
Confira as atualizações (Foto: Getty Images)

Para crianças entre seis e onze anos, a máscara também deveria ser recomendada. Mas apenas em certas situações e na incapacidade de se manter o distanciamento social. Apesar da recomendação do uso da máscara, Maria Van Kerkhove afirma estar “preocupada” diante do impacto no comportamento. Segundo ela, o uso da proteção não significa que as pessoas possam abandonar a ideia do distanciamento social. “Pedimos para manter a distância, mesmo com a máscara”, disse.

    -Publicidade-