Bebê nasce com doença rara na pele e não pode receber abraços: “Causava ainda mais dor nele”

Angelo teve uma condição rara e séria de eczema

 

-Publicidade-
(Foto: Reprodução / Jornal Mirror)

Chiara Berry é mãe de Angelo Berry, um bebê que nasceu com uma condição rara e séria de eczema, problema de pele. A crianção não pode ser abraçada, nem mesmo pela mãe, pois isso causa fortes dores no bebê.

A mãe fez um desabo dizendo que a criança, com poucas semanas de vida, já tinha desenvolvido o problema de pele. “A pele dele só foi piorando e piorando cada vez mais! Ele estava sentindo muita dor por causa disso, ao ponto de que não conseguia mais comer. Ai ele começou a perder peso!”, afirmou Chiara ao jornal britânico Mirror.

-Publicidade-

O caso foi tão grave que o médico explicou aos pais que o único tratamento era uso de um creme para adultos. “O médico disse que o creme poderia deixar ele com cicatrizes para a vida inteira, mas não havia outra opção. Felizmente, o creme não causou cicatrizes no meu filho”, disse Chiara.

Já que no tratamento do menino, ninguém podia abracá-lo, Angelo chorava muito. “Ele chorava o tempo inteiro. Em situações assim você só quer abraçar o seu filho para acalmá-lo, mas isso causava ainda mais dor no Angelo. Então eu só pude segurar sua mão. Foi uma fase muito difícil”, desabafou Chiara. O menino, que tem dois anos, já está curado e realiza exames, com frequência, no hospital.

(Foto: Reprodução / Jornal Mirror)

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos:

Leia também:

Gêmeos com doença rara nascem com ‘ossos de vidro’ e sobrevivem a diagnóstico negativo dos médicos

Pai de menino com doença rara usa dinheiro de campanha para esbanjar com itens luxuosos

Mulher com doença rara dá à luz trigêmeos e é a primeira do Reino Unido com a condição a se tornar mãe: “Eles realmente são milagres”

-Publicidade-