Criança

Brasil é elogiado pela Unicef por ser exemplo na hora de acolher crianças refugiadas

Um representante da Organização apontou evoluções em relação aos direitos da criança e do adolescente brasileiro

Aline Bravo

Aline Bravo ,Filha de Valdeles Monica e Waldecir

Embora houve avanço, Brasil tem milhões de crianças sem pelo menos um dos direitos básicos fundamentais (Foto: reprodução / Getty Imagens)

A representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) no Brasil, Florence Bauer, apontou evoluções em relação aos direitos da criança e do adolescente no cenário brasileiro o que também refletiu nas crianças imigrantes acolhidas no país.

Desde 2007, mais de 200 mil pessoas entraram no Brasil fugindo da crise da Venezuela, dessas pessoas cerca de 10 mil crianças estão em situação de vulnerabilidade.

Desde de 2007, mais de 200 mil pessoas entraram no Brasil fugindo da crise da Venezuela (Foto: reprodução / Getty Imagens)

“O Brasil teve um papel muito importante desde o início [da crise venezuelana]. O país investiu recursos na Operação Acolhida e obteve uma resposta muito positiva. A liderança do governo do Brasil nesse tipo de situação é exemplar. O Brasil tem um papel acolhedor e provê todos os serviços básicos que as crianças precisam. Mas, ainda assim, há desafios para a integração dessa população e esse é o trabalho que o Unicef planeja desenvolver a partir de agora”, disse Florence.

Embora houve avanço, o Órgão das nações Unidas (ONU) divulgou que, no Brasil, cerca de 27 milhões de crianças são privadas de pelo menos um dos direitos básicos fundamentais e quase 2 milhões e crianças e adolescentes estão fora da escola na faixa etária compulsória.

Leia também:

Selena Gomez faz documentário sobre famílias de imigrantes nos EUA

ONU afirma que a cada 11 segundos uma mãe ou um bebê morre no parto

ONU afirma que 20 milhões de crianças não são vacinadas contra doenças muito perigosas