Bronquiolite: o que é, principais sintomas e como prevenir essa doença

O médico do departamento Materno-Infantil do Hospital Albert Einstein, dr. Claudio Len, tirou as dúvidas da audiência e citou alguns cuidados importantes para os pais

Resumo da Notícia

  • Tire as suas dúvidas sobre bronquiolite
  • Nosso braço direito, dr. Claudio Len, explicou como funciona essa doença
  • O especialista também respondeu algumas perguntas sobre o tema

O médico do departamento Materno-Infantil do Hospital Albert Einstein, dr. Claudio Len, é nosso braço direito para falar sobre saúde das crianças. Na coluna “Dr. Claudio responde” desta edição, o especialista contou tudo o que você precisa saber sobre bronquiolite. Veja a seguir!

-Publicidade-
Saiba tudo sobre bronquiolite, uma doença viral mais comum entre o outono e inverno (Foto: Shutterstock)

“Minha suspeita é de bronquiolite”. Quando faço este diagnóstico no consultório percebo que os pais ficam preocupados. Procuro acalmá-los rapidamente, explicando que, na maioria dos casos, esta doença não é complicada e que em alguns dias os seus filhos estarão bem.

A palavra bronquiolite vem do grego (bronchion = brônquio + itis = inflamação). Esta doença é causada por vírus respiratórios, sendo o mais comum deles o vírus sincicial respiratório. De um modo geral, acomete crianças até os dois anos de idade e os sintomas costumam ser mais intensos nos bebês com menos de 6 meses.

Os sintomas iniciais são os de um resfriado comum, como coriza, irritabilidade e em algumas situações febre baixa. Depois de dois a três dias o vírus vai para os brônquios, que ficam inflamados e mais fechados, e há uma intensa produção de muco. Nesta fase, as crianças ficam irritadas, chiam, tossem muito e ficam desconfortadas, com dificuldade para respirar. A respiração lembra a de um “cachorrinho” que correu muito.

Neste momento os pais devem procurar assistência médica sem hesitar, de preferência em um pronto-socorro. Em algumas ocasiões podem ser realizados testes para pesquisas de vírus, o que ajuda no acompanhamento médico; de um modo geral o tratamento é feito em casa, mas em cerca de 2% dos casos há necessidade de internação para hidratação, oxigenioterapia e fisioterapia respiratória.

Como prevenir bronquiolite?

Thays Moura, mãe de José Cristiano e Maria Emanuela

Não há vacina efetiva para a bronquiolite, por tratar-se de doença viral causada por vários tipos de vírus. Recomendo que os pais evitem ao máximo o contato dos bebês com pessoas resfriadas. Em algumas condições excepcionais, como prematuridade extrema e/ou doenças cardíacas e pulmonares precoces, há indicação de um medicamento preventivo. Recomendo que você converse com o seu pediatra para saber se o seu filho tem indicação.

Pode acontecer em qualquer época do ano?

Luciana Reis, mãe de Thiago

A bronquiolite é bem mais comum no outono e no inverno, mas pode ocorrer em qualquer época do ano. Cabe ressaltar que aglomerações, mais comuns em dias frios, propiciam a transmissão de vírus respiratórios. A inflamação também é bem mais comum em crianças com menos de 2 anos de idade. Mas já atendi várias crianças com 3 ou 4 anos de idade. No entanto, em crianças mais “velhas” deve ser feito o diagnóstico diferencial com asma brônquica e outras doenças respiratórias mais prevalentes.

É preciso ir para o pronto-socorro ao perceber os sintomas?

Janaína, mãe de Amanda

Os pais devem procurar assistência médica assim que notarem sintomas de bronquiolite, mesmo nos estágios iniciais. O pediatra da criança deve ser acionado, pois o exame clínico confirma o diagnóstico e a ausculta pulmonar indica o grau de comprometimento dos brônquios. No caso de gemência, cansaço ou respiração curta, recomendo que os pais levem os seus filhos imediatamente para o pronto-socorro, para que sejam tomadas as medidas necessárias para o tratamento.