Criança

Bruxismo infantil: seu filho range os dentes?

Saiba quais os tipos de tratamentos indicados para as crianças

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

*Por Gladys Magalhães, mãe de Miguel

Já faz algum tempo que a criança dorme a noite inteira, provavelmente já no próprio quarto, mas o sono ainda é sinal de preocupação e assunto no café da manhã dos pais. O motivo? A criança passou a ranger os dentes.

Chamado de bruxismo infantil, o hábito de ranger ou apertar os dentes involuntariamente, é mais comum entre meninos e meninas na idade pré-escolar. Isso porque, nesta fase, seu filho apresenta dentição mista (dentes permanentes e de leite) e também, em muitos casos, é a primeira vez que ele é exposta a um ambiente diferente do familiar, gerando um gatilho para o estresse emocional.

“No caso do bruxismo infantil, ele pode se manifestar de dia ou durante o sono, o que é mais observado. De dia, as causas mais comuns são problemas respiratórios ou até gástricos, enquanto à noite, a maioria dos casos está relacionada ao estresse, por conta da sobrecarga de atividades, responsabilidades, ou ambiente”, comenta Isabella Mendes, consultora da GUM, mãe de Carolina.

Isabella explicou pra gente que a alta exposição das crianças às novas tecnologias também pode ser prejudicial, levando ao bruxismo. Entretanto, sempre é necessário que um odontopediatra analise cada caso individualmente. Fica a dica!

954_brux

Consequências

Desgaste nos dentes, perda de altura oclusal para os dentes permanentes (não permitindo que eles tenham o espaço ideal para nascer), problemas de desenvolvimento na articulação, dificuldades na fala, ao mastigar, além de dores crônicas durante e após o crescimento completo da arcada e dos dentes são apenas algumas das consequências do bruxismo.

“O bruxismo infantil diferente do bruxismo adulto, nem sempre se manifesta em dores específicas, pois a formação óssea do maxilar e ligamentos periodontais das crianças é completamente diferente da do adulto, o que faz com que o organismo das crianças tenha mais sistemas de “amortecimento” da dor”, explica Isabella.

De acordo com a especialista, dessa forma, apesar de apresentar desgaste do esmalte dentário, os pequenos não relatam dor. Em casos mais extremos, contudo, há relatos de dores crônicas de ouvido, cabeça e nas bochechas, mas não são sintomas característicos na fase inicial.

Tratamento

A prática moderada de esportes e evitar o uso de telas próximo a hora de dormir são atitudes que ajudam a combater o hábito do seu filho em ranger os dentes. Entretanto, um tratamento multidisciplinar, envolvendo dentistas, psicólogos e pediatras, é o mais ideal, visto que o bruxismo infantil, em muitos casos, é apenas um dos sintomas e não o problema principal.

No que diz respeito ao uso de placas e aparelhos, tão comuns no tratamento de adultos, estes não são recomendados para as crianças, porque podem “limitar a saída dos dentes permanentes e desenvolvimento ósseo. Porém, só o dentista pode avaliar a situação”, conclui Isabella.

Leia também:

Saiba como lidar com os primeiros dentes do bebê 

Seis erros que devem ser evitados ao escovar os dentes 

Guardar os dentes de leite do seu filho pode ajudar em tratamentos de saúde no futuro