Criança

Calma! Nem sempre a febre é motivo para sair correndo para o hospital

Algumas vezes não é nada sério!

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Você é daqueles pais que não sabem o que fazer quando a criança está com febre? Se sim, você provavelmente também entra em pânico quando o inverno começa a se aproximar – seja por causa das preocupações com a gripe H1N1 ou qualquer outra infecção da época. Mas o que você não sabia é que crianças saudáveis de todas as idades geralmente aguentam febre de até 41°C sem complicações. É provável (e recomendado) que a temperatura do seu filho nunca se aproxime desse número assustador, mas esteja preparado: é quase inevitável que, em algum momento durante os três primeiros anos, isso aconteça.

E provavelmente você já passou por isso: é madrugada e seu filho acorda chorando muito, você vai até o quarto e, com apenas com um toque, percebe que a testa dele está quente. Você mede a temperatura, se assusta e logo liga para o médico. Calma, não se desespere! Temos algumas dicas de como lidar com a febre. Olha só:

Primeira reação

Se seu bebê tem menos de três meses, uma temperatura acima de 38ºC já merece uma ligação rápida para o médico. Como o sistema imunológico de uma criança não está totalmente desenvolvido nessa idade, ela é vulnerável a infecções graves, como meningite bacteriana e pneumonia, por exemplo, e a temperatura corporal elevada é frequentemente o único sintoma.

Entre três e seis meses, seu filho precisa ser examinado por seu pediatra quando sua febre atingir 38,4ºC. Se ele tiver mais de seis meses, você pode esperar para entrar em contato com seu médico quando a temperatura subir para 39,4°C. Mas, se por acaso ele tiver mais sintomas como tosse, dor de garganta, nariz escorrendo ou entupido, dores no corpo, dores de cabeça, calafrios, fadiga e diarreia, não deixe que a febre atinja 38,8 ºC. Estes são os sintomas clássicos da gripe H1N1 e tendem a ocorrer dentro de 24 horas após o início da febre.

Sintomas 

Como a febre é um sinal do corpo de que algo está errado, preste muita atenção nos outros sintomas do seu filho. Se ele estiver com o nariz escorrendo e com a febre baixa, geralmente significa que ele tem um resfriado comum. Mas se vômitos e diarreia aparecem, provavelmente é um vírus estomacal. Em ambos os casos, a febre tende a aparecer gradualmente e a desaparecer dentro de alguns dias.

Bandeiras vermelhas

Informe imediatamente o seu médico se o seu filho se queixar de dor de garganta, dor de ouvido ou dor ao urinar, uma vez que esses sintomas podem indicar infecção na garganta, uma infecção no ouvido ou uma infecção do trato urinário, todas com necessidade de tratamento com antibióticos. Você também deve verificar se o seu filho apresenta sintomas de desidratação, como, por exemplo, se ele está urinando menos que o normal, se não produz lágrimas quando chora ou se parece menos alerta do que o normal.

Embora raros, certos sintomas exigem atenção médica imediata. Dirija-se diretamente ao pronto-socorro se seu filho estiver chorando inconsolavelmente, com falta de ar, com dificuldade em acordar ou desenvolva uma erupção que não empalidece quando você toca ou que tenha manchas roxas.

Tratando a febre 

Embora seja um instinto natural querer tratar a febre do seu filho para que ele se sinta melhor, lembre-se de que a medicação irá simplesmente mascarar e não curar a febre. Como regra geral, você deve se concentrar no modo como seu filho se sente e age, e não no que o termômetro diz. Mas se reduzir a temperatura do seu pequeno com remédios faz com que ele se sinta menos mal-humorado, não há problema em fazer isso. Mas claro, só faça isso depois da prescrição médica.

Também mantenha-o longe de água fria e banhos de gelados. Se ele estiver vomitando ou tiver diarreia, dar muitos líquidos – incluindo picolé ou gelatina – pode ajudar o corpo dele a combater a doença, além de mantê-lo hidratado. Além disso, é importante vesti-lo com roupas leves e respiráveis.

Sobre os tipos de termômetro

Oral
Contra: a leitura pode ser descartada se o seu filho não mantiver o termômetro sob a língua até que ele apite
Pro: a maioria das crianças de quatro anos ou mais pode usá-lo corretamente e não há necessidade de remover suas roupas
Precisão: boa
Dica: se ela acabou de tomar uma bebida quente ou fria, espere 15 minutos

Axila
Contra: se a sala estiver fria, você pode obter uma leitura errada
Pro: é muito fácil de usar
Precisão: adequada
Dica: muitos médicos recomendam adicionar alguns graus para ter maior precisão

Orelhas 
Contra: os médicos dizem que é difícil de inserir corretamente, especialmente para crianças menores de um ano
Pro: é rápido e conveniente
Precisão: variável
Dica: para obter um resultado mais preciso, puxe o ouvido do seu filho ligeiramente para cima e para trás antes de inserir

Testa
Contra: é o tipo mais caro de termômetro
Pro: registra a temperatura em segundos e não incomoda as crianças
Precisão: variável
Dica: deve ser deslizado a meio caminho entre as sobrancelhas e a linha superior do cabelo para uma leitura precisa

Leia também:

5 informações importantes sobre a febre

Vacina contra H1N1: Saiba quem faz parte dos grupos de risco

Calma! Não precisa entrar em pânico com a primeira febre do seu filho