Criança

Caso do menino Bernardo Boldrini começa a ser julgado cinco anos após a morte

Entre os suspeitos estão o Pai e a Madrasta

Eloisa Ribeiro

Eloisa Ribeiro ,Filha de Terezinha Ribeiro

Bernardo morreu por grandes dose da medicação Midazolam (Foto: Reprodução Polícia)

O caso do menino Bernardo Boldrini Uglione, de 11 anos, que abalou o país está em julgamento nesta segunda-feira (11). Quase cinco anos após a morte da criança.

Segundo informações do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, o pai de Bernardo, Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, e os irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz são os quatro réus denunciados pela morte do menino. Eles respondem pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e falsificação ideológica.

De acordo com o Correio Brasiliense, o julgamento terá duração de cinco dias e conta com dezoito testemunhas. Além disso, 25 jurados, chamados através de um sorteio, todos são moradores de Três Passos, onde Bernardo morava.

Entenda o caso

Segundo as investigações, o corpo de Bernardo foi encontrado 10 dias após o assassinato em uma cova na beira de um riacho em Frederico Westphalen. Ele foi morto depois de uma grande dosagem da medicação de Midazolam, que teria sido aplicada pela madrasta.

Leia também

Menino morre uma semana após nadar em piscina por afogamento secundário 

Menino de 3 anos se perde da mãe e morre no metrô de São Paulo

Sempre alerta: menino morre afogado em fonte no Piauí