Caso Miguel: Mãe do menino faz desabafo sobre injustiça em Dia das Crianças sem o filho

Mirtes Renata usou o Instagram para falar com os seguidores sobre a morte do filho, a justiça e a falta que sente de Miguel

Resumo da Notícia

  • Mirtes Renata utilizou o Instagram para falar sobre a ausência de Miguel no Dia das Crianças
  • O menino faleceu sob os cuidados da patroa da mãe, enquanto ela passeava com o cachorro da família
  • Mirtes fez um desabafo sincero sobre justiça pela morte do filho

Mirtes Renata usou o Instagram para falar sobre a ausência de Miguel no Dia das Crianças. Isso porque o menino faleceu sob os cuidados da patroa da mãe – Sarí Corte Real – enquanto Mirtes passeava com o cachorro da família. Sobre isso, ela fez um desabafo em post no Instagram.

-Publicidade-

“As crianças e os adolescentes têm todos os direitos humanos, não porque são “o futuro”, mas porque são seres humanos”, começou ela. “Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária. Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação”.

Um ano depois da morte de Miguel, o caso segue sem solução
Um ano depois da morte de Miguel, o caso segue sem solução (Foto: Reprodução / Facebook Mirtes Renata)

Mesmo assim, a mãe ainda lança a reflexão, “Meu filho não teve a sua infância protegida por um adulto, não teve a vida valorizada. Se é dever de todos assegurar a vida, porque meu filho não teve sua vida assegurada? Se todos somos iguais perante a lei, porque está demora para que a justiça seja feita? As crianças são o futuro do amanhã, mas será se todas são olhadas desta forma ? O resto da minha vida sem meu filho”, finaliza ela.

Relembre o caso

Miguel caiu do 9º andar do edifício Píer Maurício de Nassau, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife, no dia 2 de junho. A queda aconteceu após a mãe dele deixá-lo com Sarí Corte Real para passear com a cadela da ex-patroa.

O menino quis acompanhar a mãe, então, pouco depois da tragédia, imagens do elevador do prédio mostraram Sarí Real junto de Miguel no elevador do prédio.  Depois de convencer Miguel a sair do elevador quatro vezes, a primeira-dama desiste de acompanhar o garoto.

Sarí Corte Real é acusada pela morte do menino
Sarí Corte Real é acusada pela morte do menino (Foto: Reprodução / Vídeo G1)

Ela então parece apertar o botão do elevador, deixando que a porta se fechasse com o garoto, sozinho, dentro. De acordo com as investigações da Polícia Civil de Pernambuco, Sarí então voltou ao apartamento, para continuar seu tratamento com uma manicure.

Ao chegar ao nono andar, Miguel abriu a porta corta-fogo do andar e seguiu pelo corredor. Ele pulou o peitoril da janela, colocou os dois pés na caixa de compressores e, já na área técnica, subiu na grade, momento em que uma peça se soltou e o menino caiu.

Na época, Sarí chegou a ser presa preventivamente um dia depois da morte, mas pagou fiança de R$20 mil, para responder ao processo em liberdade.