Como ajudar seu filho a largar a chupeta: 7 dicas para facilitar esse momento

Tirar o hábito da chupeta da criança pode ser uma missão quase impossível. Mas não precisa ser assim!

(Foto: Getty Images)

Sim, ela traz paz para a casa naqueles momentos de choro e birra do seu filho. Mas a chupeta também pode ser prejudicial para as crianças, então é preciso saber dar adeus a ela em um algum momento.

-Publicidade-

A longo prazo, o uso da chupeta pode trazer consequências ruins para a saúde geral da criança como alterações ortodônticas, de respiração e de fala. Apesar das pesquisas comprovarem que o uso de chupetas pode diminuir o risco de Síndrome de Morte Súbita Infantil (também conhecida como SIDS), já que ela ajuda a manter as vias aéreas abertas e com menor chance de o bebê parar de respirar, é fundamental ter noção de que a despedida tem data e hora marcadas e é por volta dos 2 anos. Depois disso, o uso do acessório pode levar a problemas odontológicos como o desalinhamento dos dentes, mordida cruzada, entre outros. 

Os especialistas concordam que quanto mais cedo começar o processo, mais fácil será o adeus à chupeta. “Quanto mais velhas as crianças ficam, mais elas estão dependentes da chupeta e mais conscientes de quem são”, diz a terapeuta familiar Bette Alkazian. A retirada da chupeta normalmente cria bastante ansiedade para os pais e a criança. Não existe uma receita pronta para a retirada, mas algumas dicas sempre ajudam.

-Publicidade-

Há milhares de formas lúdicas e histórias para seu filho conseguir aposentar a chupeta. A mais popular é a fada, que vem à noite para tomar as chupetas, deixando um grande presente. Existe também a possibilidade de levar a criança para uma loja de brinquedos para “negociar” seu vício por um brinquedo de criança grande. O mais recomendado é explicar que agora ela cresceu. Como canta Arnaldo Antunes na música Tchau Chupeta, do CD e DVD Pequeno Cidadão: “Já pensou uma mãe chupando chupeta?/Já pensou um pai chupando chupeta?/E uma vó de bobs e chupeta?/E um vovô de bengala e chupeta? Todo mundo uma hora tem que se libertar…”.

Também existem algumas dicas práticas para te ajudar nessa missão! Olha só:

Indo com calma

Tente aos poucos. Reduza o tempo que ele fica com a chupeta, espaçando os intervalos. É uma forma de a criança começar a se desacostumar. Comece tirando a chupeta da criança em momentos mais tranquilos, como durante o dia em casa, quando ela está brincando distraída. Começar diminuindo o tempo de uso da chupeta aos poucos pode ser menos traumático para as crianças. “Uma vez que eles se acostumaram com os bicos para se acalmarem quando eram bebês, é importante que se sintam protegidos e não sintam esse momento como algo ruim e que desencadeie insegurança e sentimento de abandono”, explica a fonoaudióloga Ana Lúcia Duran. Uma vez que a criança tenha se acostumado a ficar sem o acessório em casa, elimine seu uso em ambientes externos também.

(Foto: Getty Images)

Faça uma troca

No caso dos bebês, substitua a chupeta por algo que ele goste ou pelo o qual se interesse e que possa ser colocado na boca. O paninho de dormir pode ser um grande aliado, por exemplo. 

Boca livre

Ensine que para falar sempre é preciso estar com a boca livre. “No momento em que ainda estão desenvolvendo a fala, eles sentem necessidade de serem entendidos, então vale explicar que os adultos só compreender as frases quando são ditas livres dos bicos de chupetas e mamadeiras na boca”, ensina a fonoaudióloga.

Aposte no paladar

Já que na fase de introdução alimentar eles ainda estão construindo o paladar, vale usar da tática do ‘gosto ruim’. Lambuzar os bicos da mamadeira ou da chupeta com algo que a criança não goste de comer pode ser uma boa tática.

O plano de 3 dias

  • Dia 1: o aviso prévio – desde cedo, diga frases e incentive seu filho a se sentir uma criança independente e responsável, que consegue fazer as coisas sozinha e não é mais um bebê. Mais à tarde, sugira que ele deixe a chupeta em três dias, diga que essa é uma boa ideia. Depois, reforce dizendo que acredita que ele é capaz de fazer isso e que vocês vão trabalhar juntos. Sempre que for abordar o assunto, preste atenção para que a conversa não se prolongue e não soe como se você estivesse pedindo sua permissão. Se ele se opuser, respeite seus sentimentos mas não resista. Fique firme na missão!
  • Dia 2: reforçando o combinado – repita a mesma conversa breve duas vezes ao dia e enfatize que o grande dia é “amanhã”. Mantenha o discurso e o tom, mesmo que ele tente te fazer ceder. “Assim como os adultos, as crianças precisam se preparar fisicamente, psicologicamente e emocionalmente para a mudança”, Mark explica. Seja empático, mas também seja firme.
  • Dia 3: o grande dia – ao amanhecer lembre seu filho que é o “dia 3” e que é hora de juntar as chupetas. É legal criar uma espécie de brincadeira, como se fosse uma caça ao tesouro e convidá-lo para participar. Esse clima vai ajudar, mesmo que ele proteste um pouco. Coloque-as em uma sacola e diga que o caminhão da reciclagem virá buscá-las. É bacana explicar que as chupetas virarão novos brinquedos e pneus. Assim, fica mais fácil da criança aceitar a despedida do que simplesmente jogá-las no lixo.
(Foto: Getty Images)

O adeus

Esse pode ser um momento desafiador, mas você pode amenizar com algumas histórias. Uma boa ideia é marcar a transição dizendo que as chupetas são recolhidas dos bebês e transformados em novos brinquedos para crianças grandes. Ou, que tal falar para o seu filho que suas chupetas serão doadas a novos bebês? Com certeza ele vai gostar da ideia.

Resistindo à tempestade

Seja qual for o método escolhido, prepare-se para algumas noites mal dormidas e com chororô. Provavelmente seu filho vai lamentar a falta da chupeta e você precisa ser firme na decisão. Lembre-se que se você ceder e der novamente o acessório pra ele depois de horas de muito choro, estará reforçando que basta uma birra para conseguir o que quiser – inclusive a chupeta. Não é fácil, mas relaxa vocês não são os primeiros a passar por isso.

Leia também:

Como a chupeta pode interferir no desenvolvimento da fala do seu filho

Como arrumar o quarto do bebê: veja dicas de organização das roupas, cômoda e enxoval

Chupetas e mamadeiras customizadas podem causar riscos às crianças

    -Publicidade-