Criança

Como ensinar tabuada: três dicas simples e criativas

A matemática é importante para o bom funcionamento da memória, além de melhorar a atenção e funções cognitivas básicas

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: Getty Images)

Ela é superimportante para o bom funcionamento da memória (Foto: Getty Images)

Um dos grandes desafios que os estudantes encontram logo nos primeiros anos de ensino é o aprendizado da tabuada. Quem nunca teve aqueles antigos lápis, réguas e capas de caderno estampados com os resultados das multiplicações para facilitar as aulas — e chegou a levar bronca do professor em dia de prova?

Isso porque, na hora de precisar lembrar da tabuada, muitas vezes os números fogem da memória — prova de que as práticas comuns de memorização pela repetição não são tão eficazes assim. Por isso, é importante fazer com que seu filho aprenda de fato a fazer as multiplicações.

Em tempos mais modernos, você pode duvidar se faz sentido exigir que as crianças saibam os resultados das contas de cor. Mas a resposta é sim: o aprendizado da matemática promove o bom funcionamento da memória, melhora a atenção e aumenta outras funções cognitivas básicas.

As especialistas em educação, Taís e Roberta Bento, fundadoras do SOS Educação, explicam que é preciso, sim, ajudar seu filho a memorizar a tabuada. “Quanto melhor ele entender primeiro o conceito que está por trás, mais fácil será aprender cálculos mais complexos. Depois de entender, decorar só ajuda. A memória operacional fica livre para usar o resultado na multiplicação em cálculos mais difíceis, uma vez que o número já está armazenado na memória de longo de prazo”, explica Taís.

Elas separaram três dicas simples e criativas para ajudar seu filho na memorização da tabuada. Confira:

1 – Imprima e cole a tabela da tabuada que seu filho está estudando na parede do banheiro, em frente ao vaso sanitário. Acrescente as próximas, deixando sempre a mais recente no melhor ângulo de visão. Depois de algumas semanas, troque gradativamente as tabelas, deixando em branco a coluna dos resultados. Automaticamente, seu filho vai ler o cálculo e buscar na memória o resultado, que estará em branco, mantendo a prática, logo estará com os número na ponta da língua.

2 – Tire alguns momentos por semana para jogar com seu filho. Use cartas de baralho viradas para baixo. Cada um tira duas cartas, na sua vez. Se acertar o resultado da multiplicação dos números virados, fica com as cartas. Vence quem tiver mais cartas aos final do jogo.

3 – Enquanto estiverem no trânsito, faça desafios usando as placas de carros que passam por vocês ou que estejam parados no semáforo. Estabeleça como prêmio o direito do ganhador escolher um mico para a outra pessoa pagar. Não use bens materiais ou dinheiro como prêmio.

Leia também:

Brincar com o irmão faz com que seu filho seja melhor em matemática

Matemática sem estresse: 10 atividades para descomplicar o assunto!

Sem trauma: Harvard mostra como seu filho pode gostar de matemática