Como evitar que o mau comportamento de um filho influencie o outro?

A psicóloga norte-americana Emily Edlynn respondeu a dúvida de uma mãe em específico, mas que com certeza irá te ajudar na educação das crianças em casa

Resumo da Notícia

  • Psicóloga infantil da dicas para criar crianças em famílias mistas
  • Ela irá te ajudar a garantir que o comportamento de um filho não influencie o outro
  • Veja dicas e sugestões do que você pode fazer
Como fazer com que po mal comportamento de uma criança não afete a outra? (Foto: iStock)

A psicóloga infantil norte-americana Emily Edlynn recebeu uma pergunta recentemente e a achou tão pertinente que decidiu compartilhar a resposta para que todas as mães pudessem ler. A questão dessa mãe poderá te ajudar na educação de seu filho. Veja a pergunta e as respostas e sugestões dadas pela profissional:

-Publicidade-

“Eu tenho uma filha de 8 anos e um bebê com meu namorado. Ele também tem dois filhos de um relacionamento anterior. Sua filha exibe comportamentos manipulativos em busca de atenção. Sinto que submeter minha filha a esse hábito pode ser tóxico para ela e nossa família. Meu namorado está ciente dos problemas de sua filha, mas infelizmente os normaliza até certo ponto. O que eu faço?”.

Se aprofunde

“Como psicóloga infantil, muitas vezes ouço reclamações sobre comportamentos para ‘chamar atenção‘ e ‘manipulativos’ por parte das crianças. Meu primeiro passo para abordar as preocupações dos pais é aprofundar os comportamentos e ajudá-los a lembrar que os filhos pequenos não são tão sofisticados quanto os adultos. Aliás, para começar, evito ao máximo a palavra “manipulação”, porque ela implica mais poder e controle do que as crianças realmente têm. Entendo que os adultos podem se sentir manipulados pelas crianças, mas as crianças são projetadas para descobrir como usar seus comportamentos para atender às necessidades importantes. É sobre sobrevivência, não manipulação.

-Publicidade-

“Quando as crianças mostram os comportamentos que você está descrevendo, geralmente é um sinal de outros problemas. Gostaria de encorajá-lo a pensar sobre os comportamentos de uma perspectiva diferente; pergunte: ‘O que ela precisa mas não está conseguindo obter?’. Quero dizer emocionalmente, não o mais novo brinquedo ou dispositivo tecnológico!

“Frequentemente, as crianças de famílias mistas lutam com a falta de estabilidade por causa da mudança entre as famílias ou por terem que competir pela atenção dos pais biológicos. Na família da questão, me parece que a filha do namorado tem muito a competir com a atenção do pai: a mãe, o irmão dela, a filha de 8 anos e – o que mais absorve a atenção de todos – um bebê.

“Pode ser que a mãe em questão tenha mais sucesso em lidar com os comportamentos dela se mudar o foco: de quão perturbador é o comportamento dela para o que está por trás deles. Claro, ela pode nem saber as razões. É aqui que um profissional de saúde mental infantil, especialmente um especialista em filhos de divórcio, pode oferecer conhecimentos valiosos. Parece que o namorado também pode se beneficiar dessa orientação, que pode ajudar os dois a estarem na mesma página.”

O poder do positivo

Também ouço a preocupação com a filha aprendendo comportamentos que você não quer que ela aprenda. As crianças são definitivamente esponjas, são capazes de captar e incorporar tudo. Por isso, é aconselhável ficar de olho em qualquer mudança de comportamento. Para progredir, tenha regras familiares claras e específicas sobre comportamentos aceitáveis ​​e inaceitáveis. Quando a filha do namorado se envolve em comportamentos inaceitáveis, você e ele precisam repetir as regras para que todos possam ouvir. Se sua filha reclamar que a filha dele parece não seguir as regras, você pode explicar que você e o pai dela estão trabalhando com ela em particular.

“Ao moldar os comportamentos da criança, o reforço positivo também é sempre um vencedor. Perceber os comportamentos positivos e elogiá-los no momento pode ajudar bastante para garantir que sua filha esteja recebendo atenção positiva, o que pode resultar na diminuição da necessidade de chamar atenção por comportamentos negativos.

“No que diz respeito às crianças, qualquer atenção é melhor do que nenhuma atenção. Cabe aos adultos dar um bom equilíbrio de positivo e negativo. Isso também se aplica à filha do namorado – observe e elogie até mesmo pequenos casos de comportamentos positivos para ajudá-la a obter o tipo certo de atenção, para que ela fique mais motivada a manter os bons comportamentos, o que geralmente também leva a uma diminuição no os comportamentos ruins.

“Ser pai é difícil. Criar os filhos de outras pessoas é duplamente difícil! Pode ser útil lembrar que ser filho de vários pais causa lutas emocionais semelhantes às suas como pai de vários filhos. A diferença é que uma criança não sabe entender tudo – incluindo as emoções. Ainda. Com a orientação de cuidadores envolvidos e solidários, como você e o namorado, ela pode aprender.”

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-