Criança

Como identificar se o seu filho é apaixonado por ciências

Estimular a curiosidade é fundamental para o desenvolvimento da criança

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

boy-looking-at-conical-flasks-in-classroom-picture-id474963222

(Foto: iStock)

Os dedinhos curtos levantam, com muito cuidado, a pedra num canto do jardim. Ato contínuo, a boca se abre e os olhos não acreditam nos insetos que foram descobertos ali. Se você já surpreendeu seu filho numa situação assim, é bom saber: ele está fazendo ciência. E não é exagero dizer isso. Toda criança é naturalmente cientista, porque já vem com ânimo para conhecer, desbravar e investigar o mundo. Quem garante isso é a educadora Beatriz Ferraz, mãe do Pedro, CEO na Escola de Educadores e consultora no Banco Mundial. Meninos e meninas “são curiosos e buscam conhecer e entender o ambiente em que vivem. Querem descobrir o “como” e o “porquê” das coisas, dos “fenômenos da natureza e fatos da sociedade”, defende.

No campo das humanidades, as crianças investigam enquanto brincam com os papéis sociais: como são os adultos? O que fazem quando não estão em casa? Como é o trabalho deles? “Quando são envolvidas em experiências de interação, exploração e brincadeira sobre pessoas, culturas, sobre o mundo natural e físico, os tempos, os eventos, as invenções e a tecnologia, elas adquirem habilidades importantes como observar, comparar, classificar, sequenciar, fazer perguntas, tomar decisão, resolver problemas, prever, refletir, raciocinar, recordar e comunicar”, ensina a educadora.

Investigar a vida não é apenas divertido. É importante que a criança se veja e se reconheça como um pequeno cientista, porque assim ganha autonomia e segurança para “ob