Criança

Congestão alimentar em crianças é um mito!

É o que afirma o doutor Claudio Len; não há problema entrar na piscina após as refeições. Vem entender o porquê

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Você, com certeza, deve se esforçar ao máximo para seu filho ter uma rotina. O que facilita a vida da família, especialmente nos dias de semana. Café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde e jantar. E ao mesmo tempo escola, estudos, lazer e uma série de atividades inesperadas. Com isso, é comum a proximidade dos horários das refeições e atividades físicas, como natação e esportes. A congestão alimentar, causada pelo “desvio” do sangue do intestino para outros tecidos, como pele (durante a natação) e músculos (esportes de um modo geral), pode acontecer em adultos. E é prejudicial para a saúde. Mas a congestão alimentar é um mito em crianças. Sou formado há 30 anos e não me lembro de ter visto um único caso.

Pode ou não entrar no mar ou na piscina após as refeições? Está chegando o verão e as crianças mal querem parar de brincar para comer – Jeanie Marcelle, do instablog @papinhadebb, mãe de Marcel.

Não tem problema as crianças entrarem no mar ou na piscina após as refeições. Não é preciso fazer um intervalo entre o almoço e uma atividade física. Mas, para qualquer recreação, é bom moderação logo após refeições completas. Porém não há risco de “congestão”.

O famoso banho de ofurô para bebês está em alta. Uma criança amamentando ou que já se alimente com sólidos pode passar mal se entrar nesse banho após a refeição? – Juliana Monteiro, blog @bebenoberco, mãe de Lavínia e Murilo.

O banho de ofurô vem sendo utilizado por alguns pais especialmente em crianças pequenas. Da mesma maneira que o banho de banheira, não há problemas em amamentar e tomar banho logo depois. Porém, banhos após mamadas e refeições podem, por causa da manipulação, causar mais episódios de refluxo.

Em um evento com refeições por buffet no qual as crianças comem o tempo todo e ficam nos brinquedos, quais os riscos de congestão? Como prevenir? – Tati Lopes, @mamaesacchi, mãe de Mariana.

Não existe uma justificativa para não deixar sua filha comer o tempo todo e se divertir nos brinquedos em festinhas ou parques. Não há necessidade de evitar isso. De qualquer forma é necessário que a criança não corra, pule ou vá brincar enquanto come ou com alimentos na boca. Mas essa precaução não tem nada a ver com congestão, e sim com o risco que existe de engasgos.

Como saber se a criança está com congestão alimentar? Quais são os sintomas? Como proceder nesse caso? – Fabiana Fontainha, do blog @mamaepratica, mãe de Serginho.

Os sintomas de congestão alimentar em adultos são vômitos, dor de barriga, tontura e mal-estar. Mas não serve de parâmetro para dignosticar o que a criança tem. Caso seu filho apresente esses sintomas, o mais provável é que ele esteja com intoxicação alimentar ou com uma virose, doença frequente na faixa etária pediátrica.

Leia também:

7 remédios naturais aprovados pelos médicos! Veja a lista

Gripe e resfriado: aprenda a diferenciar

Conheça as 12 doenças mais comuns no primeiro ano de vida do seu filho