Conjuntivite infantil: o que é, como cuidar e quais cuidados a família precisa tomar

Uma coceira aqui, outra ali, pode ser um sinal de alerta. Mais comum no verão, a conjuntivite infantil pode trazer vários incômodos, mas com os cuidados certos é possível mantê-lo bem longe!

Resumo da Notícia

  • Conjuntivite é altamente contagiosa
  • Se o tratamento não é realizado da maneira correta, podem ocorrer problemas de visão
  • Veja como proteger toda a família

Aquela coceirinha nos olhos e a sensação de incômodo podem ser um sinal de alerta para conjuntivite! A doença, que vira e mexe ouvimos falar, é contagiosa e quando chega em casa, é um sinal para cuidar e tomar todas as medidas necessárias.

-Publicidade-

Para tirar todas as dúvidas sobre o assunto, a Pais&Filhos conversou com a Oftalmopediatra do Hospital Albert Einstein, Dra Claudia Faria, mãe de Stella. Veja algumas dicas para ficar longe do problema e saiba o que fazer para evitar a contaminação e proteger a família.

O que é conjuntivite?

Segundo a oftalmopediatra, é um tipo de inflamação que acontece nos olhos: “A conjuntiva é uma membrana que cobre a parte branca do olho (esclera). Quando a conjuntiva está inflamada, os olhos ficam vermelhos e isso é chamado conjuntivite”.

-Publicidade-
Se não tratada da forma correta, a conjuntivite pode causar problemas sérios na visão (Foto: iStock)

Sintomas para ficar em alerta

Na maioria dos casos, além dos olhos ficarem vermelhos, a conjuntivite pode estar associada a secreção, permitindo que as pálpebras fiquem coladas ao acordar ou até mesmo que haja o lacrimejamento. “Outros sintomas incluem: coceira, ardência, irritação, fotofobia (sensibilidade à luz), pálpebras inchadas e sensação de areia nos olhos“, comenta a especialista.

Verão X conjuntivite

Durante a estação, toda a família está mais propensa a contaminação. Por conta da piscina, exposição prolongada ao sol, ar condicionado, aglomeração de pessoas e poeira colaboram para que o problema apareça. Assim que o problema é identificado, é superimportante seguir algumas recomendações.

“A criança deve evitar o contato com outras pessoas e outras crianças, portanto evitar lugares públicos, escola e aglomerações. Trocar as fronhas e as toalhas de rosto todos os dias enquanto a criança estiver com os sintomas. Lavar sempre as mãos antes e depois de tocar nos olhos”.

É mais comum a conjuntivite acontecer no verão (Foto: iStock)

Tratamento

No caso da conjuntivite ser causada por bactérias, o tratamento pode ser feito a partir de colírios ou pomadas de antibióticos. Já para a conjuntivite viral, é necessário o uso de colírios lubrificantes e compressas geladas para aliviar os sintomas. E, no caso da conjuntivite alérgica, o uso de colírios antialérgicos.

Vale reforçar que um especialista deve ser sempre procurado, pois a inflamação e/ou infecção nos olhos podem comprometer a córnea e causar danos à visão caso não tratada de maneira correta. “O exame oftalmológico é importante para determinar a causa da conjuntivite e o tratamento correto, e também para se certificar de que o olho não está vermelho por outro motivo. O olho vermelho pode ser sinal de outras doenças oftalmológicas mais sérias”, comenta Claudia Faria.

Como evitar que toda a família pegue

A especialista reforça como primeiro cuidado que a lavagem das mãos é o primeiro passo para evitar a conjuntivite. ” É importante também os familiares não compartilharem toalhas, lenços e travesseiros pois as conjuntivites infecciosas (causadas por vírus e bactérias) são facilmente disseminadas”, conclui.