Coronavírus: como saber que a criança está com dificuldade de respirar?

Sendo um dos principais sintomas da doença, entenda quais são os sinais de que seu filho está com falta de ar e o que fazer nessas situações

Resumo da Notícia

  • Um dos principais sintomas de coronavírus é a falta de ar
  • Descubra quais são os sinais para perceber se o seu filho se sente assim
  • As crianças não fazem parte do grupo de risco, mas podem ser contaminadas pela doença
A falta de ar é um dos principais sintomas do novo coronavírus (Foto: Getty Images)

De acordo com o maior estudo até agora sobre crianças infectadas pelo coronavírus, Epidemiological Characteristics of 2143 Pediatric Patients With 2019 Coronavirus Disease in China, do total de 2.143 casos, 90% foram assintomáticos ou tiveram quadros leves a moderados e os 5,9% de casos considerados graves resultaram em apenas uma morte, ou seja, uma letalidade de 0,046% para essa faixa etária. Isso confirma que as crianças não fazem parte do grupo de risco, mas mesmo assim podem vir a contrair a doença e é importante estar alerta para obter os melhores resultados possíveis.  

Nesse sentido, a prevenção continua sendo a forma mais eficaz de proteger a família. Dentre os três principais sintomas da doença, o mais “agravante” é a falta de ar. É fácil perceber quando você está assim, mas e quando é o seu filho. Conversamos com a Dra. Fernanda Bombarda, médica e pneumologista infantil para descobrir como identificar a dificuldade de respiração das crianças. A especialista listou sete indicativos para os pais estarem atentos:

  • Respiração rápida e superficial 
  • Retrações inter costais: quando as mães conseguem enxergar as costelinhas quando respiram
  • Retração de fúrcula: quando as mães observam que afunda no pescoço quando a criança respira
  • Batimento de asa de nariz: quando a mãe percebe que o nariz da criança faz um movimento quando respira
  • Irritabilidade
  • Cansaço para comer ou beber
  • Dificuldade em dormir
Na dúvida, acione o seu médico de confiança (Foto: Getty Images)

Quais medidas tomar

Esses sinais podem aparecer tanto isoladamente quanto juntos e valem tanto para crianças quanto bebês. Na dúvida, se perceber algum deles no seu filho, ela recomenda procurar o médico responsável. Caso isso não seja possível, o caminho é ir atrás de um pronto-socorro. Para amenizar essa sensação, não há mágica e nem milagre. Portanto, uma boa dica para acalmar as crianças nesse momento, é oferecer carinho. “Os pais podem tentar abraçá-las e dizer que vai ficar tudo bem, para diminuir o estresse. Para os bebês, os pais podem oferecer aconchego no colo”. Dessa forma, entende que irão se sentir seguras. 

Se o seu filho já apresenta um quadro respiratório, também vale manter a medicação indicada pelo médico, manter a casa limpa com poucos objetos e animais para fora de casa e evitar contato com fumantes. Além da dificuldade para respirar, o coronavírus pode causar febre, tosse (seca), rinite, fadiga e diarreia. O mais importante de tudo é estar atento. Felizmente, os mais novos parecem ter uma certa resistência em relação à doença, mas não estão imunes. Todo cuidado é necessário neste período de pandemia.