Criança

Criança com Síndrome de Down volta da escola com rosto todo machucado e mãe desabafa em vídeo

A escola de Michael não deu acesso aos vídeos da câmera de segurança

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Michael tem 7 anos (foto: reprodução/youtube)

No início de junho, um caso comoveu muitas famílias nos Estados Unidos. Michael, um garoto com Síndrome de Down de apenas 7 anos chegou em casa com o rosto todo machucado e um olho roxo. A mãe, chocada com a situação, entrou em contato com a escola Resica Elementary na Pensilvânia, onde o garoto estuda, para entender o ocorrido.

A escola disse que o menino não tinha sido violentado dentro da escola, mas sim caído do ônibus. Ninguém tinha visto, inclusive o motorista, por isso a mãe pediu para ter acesso a câmera de segurança, já que Michael não consegue falar o que houve. O que realmente deixou a mãe intrigada foi que a diretoria da escola não deixou a mãe ter acesso as gravações.

O menino teve duas fraturas no rosto e vários hematomas espalhos, por isso, a mãe decidiu fazer um desabafo e falar sobre o caso nas redes sociais. “É um absurdo eu não poder saber o que aconteceu com meu próprio filho! E se estiverem encobrindo um caso de negligência do motorista ou de algum outro adulto? Eu vou fazer tudo o que for possível para descobrir o que aconteceu com meu filho”, disse a mãe no vídeo que viralizou na internet. Olha o vídeo na íntegra:

Bullying: converse com seu filho sobre! 

O caso, apesar de não ter sido confirmado, parece muito com um resultado do bullying.  Essa palavra assusta todos os pais, mas talvez mais preocupante seja a ideia de que isso está acontecendo com seu filho e você não percebe, afinal as crianças são boas em esconder seus sentimentos e quando você não está com eles o dia todo é mais difícil saber o que está acontecendo, por isso, fique atento aos sinais. Se engana quem pensa que bullying é só físico, apesar de ser também um dos tipos. Olha só:

  • Bullying verbal: o bullying verbal, ou intimidação com palavras cruéis faladas, envolve xingamentos, ameaças, e comentários desrespeitosos sobre os atributos de alguém (aparência, religião, etnia, deficiência, orientação sexual, etc.).

 

  • Bullying físico: agressão física e/ou intimidação física que envolve o ato repetido de bater, chutar, fazer tropeçar, bloquear a passagem, empurrar, e tocar de maneiras indesejáveis, inadequadas e agressivas.

 

  • Bullying relacional: o bullying relacional, ou intimidação com táticas de exclusão deliberadas, é utilizado para prevenir que alguém faça parte de um grupo, seja na mesa do almoço, jogo, esporte ou atividade social.

 

  • Cyberbullying:  Cyberbullying, ou intimidação no ciberespaço, ocorre quando alguém espalha mentiras e falsos rumores através de e-mails, mensagens de texto e mensagens em redes sociais. Há também o compartilhamento de mensagens sexistas, racistas e homofóbicas que criam uma atmosfera hostil, mesmo quando não estão diretamente orientadas para o seu filho.

Leia também:

4 sinais de que seu filho está sofrendo bullying e como reagir 

Conheça 4 tipos de bullying e saiba como lidar em cada caso 

20 fotos de crianças com Síndrome de Down que vão deixar seu dia mais feliz