Criança de 10 anos e 195 kg consegue mais de R$ 100 mil em vaquinha online para fazer bariátrica

Matheus Fetter vai passar pela cirurgia amanhã, dia 17 de março, no Hospital Baía Sul em Florianópolis, Santa Catarina

Resumo da Notícia

  • Matheus Fetter conseguiu mais de R$ 100 mil de doações em uma vaquinha virtual para realizar cirurgia bariátrica
  • Com apenas 10 anos e 1,30 metro de altura ele pesa 195 kg
  • Desde bebê o menino já apresentava um peso grande para a idade e, mesmo sem comer em excesso, ele engordava 7 kg por semana

A família de Matheus Fetter, de 10 anos, conseguiu mais de R$ 100 mil de doações através de uma vaquinha virtual para fazer a criança fazer cirurgia bariátrica, já que ela pesa 195 kg e mede apenas 1,30 metro de altura. O médico Jeferson Diel também se ofereceu para fazer a cirurgia gratuitamente e a família pagar apenas as consultas, equipe médica e a internação.

-Publicidade-

Matheus, segudo o IstoÉ, vai passar pelo procedimento amanhã, dia 17 de março, no Hospital Baía Sul em Florianópolis, Santa Catarina. A família da criança disse que desde que ele nasceu, o menino já apresentava um peso grande para a idade e, mesmo sem comer em excesso, ele engordava 7 kg por semana.

Saiba mais sobre a obesidade infantil

Obesidade infantil é papo sério, e como forma de conscientizar diversas famílias sobre o assunto, a data reforça a importância de práticas alimentares mais saudáveis, além do estímulo às atividades físicas. Com os hábitos sedentários e uma piora na alimentação, é essencial ficar de olho, inclusive em tempos de pandemia, quando as crianças estão passando mais tempo dentro de casa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 41 milhões de crianças menores de cinco anos já estão acima do peso. Com o alerta, a Sociedade de Pediatria identifica o dado como grave e a necessidade de reduzi-lo drasticamente. De acordo com a pediatra do Hospital Universitário, Maria de Fatima Valente Rizzo, a obesidade precisa ser acompanhada pela família, pois pode causar implicações tanto na parte física, como psicossocial. Com as taxas de sobrepeso aumentando na pandemia, a OMS estima ainda que até 2025 cerca de 75 milhões de crianças estarão obesas.

Saiba mais sobre a obesidade infantil (Foto: Shutterstock)

O gastrocirurgião do Instituto EndoVitta, Dr. Eduardo Grecco, reforça: “Estudos apontam que crianças e adolescente com obesidade tem a chance de serem em 75% ou 80% de se tornarem adultos obesos. Isso pode ser um fator genético, pois a genética influencia nesse sentido e o outro motivo está totalmente relacionado à alimentação e a falta de atividade física”.

A partir de um pré-natal adequado, estudos mostram que é possível prevenir o problema desde o ventre materno. Segundo a pediatra e neonatologista Flavia Oliveira, da Sociedade Brasileira de Pediatria, mãe de Lucas e Pedro, isso pode ser explicado pela genética, pois a composição corporal, de 60% a 80%, é determinada pelos mais de 300 genes envolvidos na regulação do peso e que são hereditários. “Outros pontos que também influenciam são o aumento de peso da mãe e a diabetes gestacional, que levam a uma programação metabólica no bebê que faz com que ele tenha piores preferências alimentares, obesidade e síndrome metabólica na vida adulta”, explica.