Criança de 2 anos vira a mais jovem a ingressar no clube internacional de pessoas com alto QI

Isla McNabb é norte-americana e chegou aos 99% de acertos, entrando no pequeno grupo de 1% da população que consegue atingir a pontuação

Resumo da Notícia

  • Menina estadunidense é a pessoa mais nova a se juntar ao "clube dos gênios"
  • Isla chegou a atingir 99% dos acertos do teste de QI
  • Pais procuraram psicólogo após perceberem esperteza além do normal

A menina Isla McNabb, de 2 anos e 6 meses, é residente de Louisiana, no Kentucky, e se tornou a pessoa mais jovem a entrar no “clube dos gênios” Mensa, uma sociedade internacional que abriga todos aqueles com alto quociente de inteligência (QI). Apenas 1% de todos os indivíduos conseguem chegar em tal conquista mental.

-Publicidade-

Após entrevista ao veículo ‘The Washington Post’, os pais de Isla revelaram que a mais nova fez o teste de QI em maio desse ano, seis meses após seu aniversário de 2 anos. O resultado deste a fez ingressar no grupo seletivo, alcançando 99% de acertos. O teste foi feito após Amanda e Jason McNabb perceberem que a garota era mais esperta do que devia pela sua idade.

A média de QI dos brasileiros varia entre 87-89, segundo psicólogos (Foto: iStock)

“No começo, Isla usava letras de plástico para formar palavras perto dos objetos correspondentes. Os pais encontraram as palavras “chair” (cadeira em inglês) perto de uma cadeira, “sofa” (sofá) ao lado do móvel e até “cat” (gato) próximo ao animal de estimação da família”, divulgou Amanda ao portal de notícias estadunidense.

Assim que a criança completou seus 2 anos, os pais lhe deram um tablet de presente e passaram a lhe ensinar o som das letras. “Ela sonorizou e disse ‘vermelho'”, disse o pai na entrevista. Amanda e Jason escreveram o nome de outras cores e a menina lia tudo: “Isso é impossível”, pensava a mãe.

A influência da leitura ajudou muito no processo de raciocínio de Isla. Quando os pais menos perceberam, a menina escreveu “mãe” sem nunca ter aprendido diretamente com os mais velhos. A situação foi tão chocante que o psicólogo que aplica os testes avisou que não atendia crianças com menos de 4 anos, mas este ficou curioso ao saber do caso da menina.

Segundo os pais, a criança leva uma vida normal apesar da alta inteligência. Pela Escala de Inteligência Stanford-Binet, Isla obteve os resultados “superior” ou “muito superior” em todas as categorias do teste.