Criança

Crianças cardiopatas mostram empatia e participam de corrida beneficente no Ceará

A corrida contou com mais de 150 meninos e meninas

Eloisa Ribeiro

Eloisa Ribeiro ,Filha de Terezinha Ribeiro

Crianças com Doença cardiovascular participam de corrida beneficente (Foto: Reprodução / Vídeo G1)

O objetivos dessas crianças é apenas correr, sem nenhum competição ou prêmio, somente pelo direito da vida e de ser feliz. 150 crianças entre 4 e 12 anos, com a doença Doença cardiovascular, participaram da primeira Corrida Heróis do Coração, realizada no Colégio Santo Inácio, com organização do Instituto Incor Criança.

O projeto surgiu da ideia do corredor Edgy Paiva, que realiza uma meia-maratona há dez anos em homenagem ao nascimento do filho Davi, que precisou passar por uma cirurgia de correção no coração e tem como objetivo chamar a atenção das doenças cardíacas congênitas.

“A criança cardiopata, depois de operada, passa a ser normal. Hoje, o Davi pratica futebol, basquete, natação e tudo isso só acontece porque ele foi operado cedo. O diagnóstico precoce é importante. O que precisamos no nosso Estado é de estrutura para operar essas crianças, porque o gasto é bem maior com elas doentes”, contou Edgy para o G1.

Um dos participantes que mais gosta das corridas é o Eduardo de 12, que foi diagnosticado com Criss-Cross Heart, coração cruzado e precisou passar por cinco cirurgia, mas mesmo assim conta que gosta muito de atividades físicas e principalmente de correr.

“Amo correr e andar de bicicleta. Me sinto um pouco diferente, mas também me sinto muito igual porque falo com as outras crianças, estudo; bom, faço tudo. As cirurgias não me impediram de viver minha infância“, comentou o menino.

Todos os projetos realizados dentro do Instituto Incor que atende mensalmente 800 crianças com essas doenças é através de doações.

Leia também

Corrida para pais e para filhos 

Você já ouviu falar na corrida de bebês da Lituânia? Veja o vídeo 

Com apenas seis meses de vida, bebê passa por cirurgia de risco no coração