Crianças do antigo lixão de Gramacho têm vidas transformadas por projeto de arte

“A arte Salva” vêm passando por momentos complicados financeiramente

O projeto nasceu do pedido de um menino chamado Bryan (Foto: reprodução / Arquivo pessoal)

Desde de 2015, o projeto “A arte salva”, vem transformando a vida de dezenas de crianças que moram no local em que funcionava o lixão de Gramacho, no Rio de Janeiro. A iniciativa utiliza as artes plásticas como meio de mudança na vida dessas crianças.

-Publicidade-

O projeto nasceu do pedido de um menino chamado Bryan, ele tinha o sonho de pintar um coração em uma tela de pintura. “Em 2014, sua família foi contemplada com uma casa do Teto, organização internacional que atua na construção de casas em comunidades carentes. Ao ver as tintas, Bryan pediu para pintar corações e ficou muito animado quando o chamei de artista”, explicou a atriz Karina Duarte que faz parte da iniciativa.

A iniciativa utiliza as artes plásticas como meio de mudança na vida dessas crianças (Foto: reprodução / Arquivo pessoal)

“Infelizmente, tivemos que parar o ano passado por falta de verbas e voltei a morar em São Paulo com os meus pais. Agora voltaremos com o apoio de todos!”, disse Karina.

-Publicidade-

“A arte salva” está passando por um momento complicado em relação as finanças e precisa de apoio para dar continuidade a ação. “Queremos comprar uma casa e transformá-la em nossa Casa Escola, ela custa 35 mil reais e precisa de uma reforma. Também queremos ter o mínimo para voltar o projeto e as aulas de artes”, explicou a atriz.

Leia também: 

Professora de matemática diminui notas vermelhas dos alunos com projeto de empreendedorismo

Projeto combate sedentarismo infantil e ainda constrói espaços em comunidades carentes

Visita do bem: projeto de lei quer liberar visitas de crianças para pais hospitalizados

-Publicidade-