Crianças em tratamento contra câncer ganham bonecos inclusivos no hospital de Campinas

Desde cicatrizes a protetores de cateter os bonecos têm

Resumo da Notícia

  • O Centro Infantil Boldrini presenteou as crianças de lá
  • Uma artesã faz bonecas para as crianças com câncer do Centro Infantil
  • As crianças ficaram muito felizes com a representatividade

Crianças do Centro Infantil Boldrini, hospital filantrópico em Campinas (SP), ficaram muito felizes ao ganharem bonecos que se assemelham a eles. A responsável pelo brilho nos olhos das crianças é a Emília, que confecciona os bonecos com ajuda da mãe, a pedagoga Maria Silvia Zampieri.

-Publicidade-
As crianças adoraram os bonecos
As crianças adoraram os bonecos (Foto: Reprodução/Fantástico)

O projeto “Alguém Como Eu” surgiu com o objetivo de promover a autoestima por meio da representatividade e foi inspirado em uma outra iniciativa parecida nos EUA. Léo é paciente do hospital desde os três anos – e já tem dois bonecos. “Quando eu vi o boneco eu gostei muito porque era igualzinho a mim!”, conta Léo.

Vestida de médica e com todo o aparato necessário, Emília faz “cirurgias” nos bonecos. Os brinquedos têm cicatrizes, protetores de cateter da quimioterapia, membros amputados e características dos seus donos e donas. A importância da inclusão é enfatizada no projeto.

Os bonecos são semelhante as crianças
Os bonecos são semelhante as crianças (Foto: Reprodução/Fantástico)

“A ideia é que eles se vejam representados. Às vezes é difícil nessa fase, tem a questão da perda do cabelo, ou algumas diferenças físicas. Então é para que eles não se sintam excluídos mesmo, seja qual for a característica física”, afirmou Emília, em entrevista ao Fantástico.