Crianças que mentem são mais inteligentes, diz estudo

Você se sentiria melhor se soubesse que seu filho que mente é mais esperto do que a criança que sempre diz a verdade?

thoughtful-beautiful-little-girl-with-intelligent-eyeglasses-to-picture-id635869112
(Foto: iStock)

Sabia que mentir pode ser positivo? Achou estranho? Nós também! Mas quando se trata de desenvolvimento das crianças, há alguns pontos positivos em inventar histórias. É o que diz um artigo do New York Times, que trouxe à luz um estudo do professor e psicólogo de desenvolvimento, Michael Lewis.

-Publicidade-

Lewis conduziu uma série de experimentos e descobriu que as “crianças pequenas que desobedeceram uma instrução e depois negaram ter desobedecido foram descobertas com QI mais alto do que aquelas que admitiram desobediência”. Para o psicólogo, a maioria das crianças aprendem a mentir por volta dos dois anos de idade, e, sim, muitas tentarão mentir. Isso independe de sexo, raça ou religião.

O alto QI não é o único “benefício” da mentira. O texto do NYT traz nomes de outros psicólogos e mostra que crianças que mentem têm habilidades em controlar impulsos, foco em tarefas, têm mais empatia  e, comparadas com crianças honestas, são ainda mais ajustadas socialmente.

-Publicidade-

Descobriu uma mentira de seu filho? Evite punições severas, como bater e mandá-lo para o quarto. O ideal é usar apelos não punitivos, como “Se você disser a verdade, ficarei muito satisfeito com você” ou fazer com que ele jure que não irá mentir mais. De acordo com os estudos citados no NYT, prometer dizer a verdade remedia o comportamento em crianças a partir dos três anos de idade, mesmo que eles ainda não entendam o que uma “promessa” realmente significa.

Leia também:

Toda criança deve fazer teste de QI?

Junk food diminui QI em crianças

Tinha que ter um porquê: pessoas esquecidas são mais inteligentes, sim

-Publicidade-