Criança

Crianças que mentem são mais inteligentes, diz estudo

Você se sentiria melhor se soubesse que seu filho que mente é mais esperto do que a criança que sempre diz a verdade?

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

thoughtful-beautiful-little-girl-with-intelligent-eyeglasses-to-picture-id635869112

(Foto: iStock)

Sabia que mentir pode ser positivo? Achou estranho? Nós também! Mas quando se trata de desenvolvimento das crianças, há alguns pontos positivos em inventar histórias. É o que diz um artigo do New York Times, que trouxe à luz um estudo do professor e psicólogo de desenvolvimento, Michael Lewis.

Lewis conduziu uma série de experimentos e descobriu que as “crianças pequenas que desobedeceram uma instrução e depois negaram ter desobedecido foram descobertas com QI mais alto do que aquelas que admitiram desobediência”. Para o psicólogo, a maioria das crianças aprendem a mentir por volta dos dois anos de idade, e, sim, muitas tentarão mentir. Isso independe de sexo, raça ou religião.

O alto QI não é o único “benefício” da mentira. O texto do NYT traz nomes de outros psicólogos e mostra que crianças que mentem têm habilidades em controlar impulsos, foco em tarefas, têm mais empatia  e, comparadas com crianças honestas, são ainda mais ajustadas socialmente.

Descobriu uma mentira de seu filho? Evite punições severas, como bater e mandá-lo para o quarto. O ideal é usar apelos não punitivos, como “Se você disser a verdade, ficarei muito satisfeito com você” ou fazer com que ele jure que não irá mentir mais. De acordo com os estudos citados no NYT, prometer dizer a verdade remedia o comportamento em crianças a partir dos três anos de idade, mesmo que eles ainda não entendam o que uma “promessa” realmente significa.

Leia também:

Toda criança deve fazer teste de QI?

Junk food diminui QI em crianças

Tinha que ter um porquê: pessoas esquecidas são mais inteligentes, sim

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não